Chiang Mai: tudo o que você precisa saber

Você já ouviu falar de Chiang Mai? Apesar de as praias da Tailândia serem a atração número 1 do país, Chiang Mai é tão encantadora quanto as cidades à beiramar. Lá estão os melhores hostels da Tailândia, a melhor comida tailandesa e os melhores restaurantes veganos que encontrei pelo Sudeste Asiático (ok, talvez empatado com Bali).

Por conta disso, Chiang Mai se tornou minha cidade favorita na Tailândia. E olha que ela nem fazia parte do meu roteiro de viagem. E foi assim, meio sem querer, que acabei me apaixonando.

Foram 10 dias nessa cidadezinha deliciosa. Aprendi a cozinhar o pad thai, visitei os elefantes, conheci mil templos, e ainda encontrei tempo pra festar.

Chiang Mai tem agora um espacinho especial no meu coração, e espero que ela conquiste o seu também.

Street art em Chiang Mai
Arte de rua em Chiang Mai

Aqui vai um guia completo pra você saber onde se hospedar, as melhores atrações e muitas outras dicas sobre minha cidade favorita na Tailândia.

COMO CHEGAR EM CHIANG MAI

Eu decidi de última hora mudar o meu roteiro e ir para o norte da Tailândia. Eu já tinha ouvido de uns 10 mochileiros que a melhor cidade tailandesa era Chiang Mai, então quando chegou a hora de ir embora de Ao Nang, decidi mudar os planos.

De Krabi para Chiang Mai, a melhor forma de transporte é voando. De Bangkok é possível pegar um trem, e de alguns outros lugares pela Tailândia é possível ir de ônibus.

Eu encontrei a passagem pelo skyscanner e paguei R$300,00. Voei pela AirAsia, minha companhia aérea favorita pelo sudeste asiático.

COMO ANDAR POR CHIANG MAI

A maioria dos templos e das atrações noturnas de Chiang Mai ficam na Old Town. Essa é a parte considerada como “cidade histórica”.

Fora da Old Town as atrações turísticas diminuem, e a arquitetura muda bastante. Eu só saía pra visitar alguns restaurantes veganos.

Meu hostel lindo emprestava bicicletas de graça, e ali pela Old Town era muito de boa andar de bicicleta ou a pé. Eu mando meio mal pedalando, então prefiria andar. E eu andei MUITO.

A dica pra não se perder, além de usar o google maps, é usar o Maps.me que funciona até sem internet.

ruas de Chiang Mai
Meu dia-a-dia em Chiang Mai era assim: andando de coração aberto pelas ruas lindas e cheias de flores e árvores

Além disso, você pode pegar tuk tuks tranquilamente. Inclusive tarde da noite. Eu fiquei chocada com a segurança de Chiang Mai. Mesmo sozinha, eu andava sem medo algum.

Tuk Tok em Chiang Mai
Tuk Tuk em Chiang Mai

Quando chovia, ou eu precisava ir em algum lugar um pouco mais afastado, eu pegava um Grab. Como eu já falei em outros posts, o Grab é tipo um uber asiático. Era super baratinho ir pra qualquer lugar.

Foi assim que fui do aeroporto pro meu hostel em Old Town. Eu aconselho você a fazer o mesmo.

ONDE FICAR EM CHIANG MAI

Chiang Mai é cheia de hostels fofos. Mesmo eu tendo a indicação pro melhor hostel de lá, fiquei até confusa na hora de escolher.

O melhor é que você escolha uma acomodação dentro da Old Town. É ali que ficam a maioria dos templos, as atrações noturnas e os cafézinhos fofos. É o melhor lugar para ficar.

Os preços dos hostels são ótimos (por volta de 10 dólares), e a qualidade deles é incrível. As acomodações são muito melhores que as de Phi Phi e Railay, por exemplo.

Como sempre, eu indico o Agoda para encontrar os melhores preços.

Eu já sabia que queria ficar no Lullaby, porque tinha ouvido de 4 pessoas que era o melhor hostel que eles já tinham ficado. Mesmo assim, fechei a reserva pelo Agoda.

Entrada do Lullaby hostel em Chiang Mai
Entrada do Lullaby hostel em Chiang Mai

O Lullaby é bizarroAs camas são muito confortáveis (aqueles colchões bem grossos e gostosos de deitar). Os quartos são super escuros e o ar condicionado funciona muito bem. Dormi que nem um anjo lá.

Eles têm dormitórios femininos e também privativos. Eu, sempre que dá, fico em dormitórios femininos. Me sinto muito mais segura.

Os banheiros são limpinhos, fofos e têm secador de cabelo. Os chuveiros ficam em cabines individuais bem espaçosas e o chuveiro é incrível.

Além disso, eles fazem vários eventos diferentes de “cozinhe sua própria comida”, e ensinam a fazer Pad Thai e outras delícias tailandesas. O dono está sempre por lá e faz questão de garantir que tudo está dentro dos conformes.

O espaço exterior do hostel é incrível. Eu pratiquei yoga lá diversas vezes, e sempre ficava por ali lendo um livro ou conversando.

Eles ainda organizam várias tours por Chiang Mai, cursos de culinária, santuários de elefantes e visitas para Pai. Sem contar que a localização é perfeita, no coração de Old Town. Dá pra fazer tudo andando, ou usando a bicicleta que eles emprestam de graça.

Eu recomendo do fundo do meu coração o Lullaby. É, sem dúvidas, o melhor hostel que fiquei na Tailândia.

O QUE FAZER EM CHIANG MAI

  • Templos, templos e mais templos

Templo em Chiang Mai

Quando penso em Chiang Mai, lembro de templos. São mais de 300 templos budistas. É templo pro resto da vida.

Existem alguns mais famosos, como o Templo Branco, e o Doi Suthep. Mas o legal mesmo é se aventurar pelas ruas de Old Town e ir entrando em vários templos diferentes, observando o dia-a-dia dos monges e dos tailandeses.

Estátua do Buda em um templo em Chiang Mai

Vale lembrar que é importante ser respeitosa. É falta de respeito entrar no templo com os ombros ou os joelhos à mostra, então vista uma saia, ou calça soltinha e cubra os ombros com um sarong. Além disso, é mais fácil usar um chinelo, ou sapato fácil de retirar, porque é proibido entrar com sapatos.

Outra parte importante é que algumas partes do templo são proibidas para mulheres. A par das questões sobre misoginia, é importante respeitar a cultura do outro, mesmo quando não concordamos. Então, preste atenção nos avisos na frente das portas do templo.

Eu tirei uns dois dias só pra andar pela Old Town e visitar templos, se você tem menos tempo tire um dia pra fazer isso. Vale a pena, prometo.

Wat Chiang Man em Chiang Mai
 Wat Chiang Man
  • Andar com os monges durante o Ritual de Oferecimento das Almas
Monges em Chiang Mai
Monges em Chiang Mai

Gente, não consigo explicar o quanto eu amava andar pelas ruas e ver um montão de monges. É incrível.

Mais incrível ainda é acordar cedo e participar da caminhada dos monges pelas ruas de Chiang Mai, coletando as ofertas de caridade dos habitantes e distribuindo bençãos.

As luzes do amanhecer combinadas com a vibração e a energia incríveis do momento são de arrepiar. É uma das experiências mais gratificantes em Chiang Mai, na minha opinião.

Você não precisa contratar tour nenhuma, é só estar no Doi Suthep por volta das 6 da manhã. Caso você decida fechar a visita com uma agência, eles geralmente vendem um pacote com o ritual e a visita ao templo.

Outra interação muito legal, que eu infelizmente não fiz, é conversar com um monge. Alguns deles falam inglês, então é possível agendar nos templos uma conversa. Eu, com certeza, farei isso na minha próxima visita.

  • Aula de culinária tailandesa
Aula de culinária vegana em Chiang Mai
Eu me divertindo com o Cutelo como uma verdadeira adulta 

Fica até díficil escrever esse post, porque todas as atrações são minhas preferidas. Eu amei fazer essa aula de culinária.

Existem vários tipos de cursos, oferecidos por escolas “renomadas” ou por locais. Há cursos que duram um dia inteiro e alguns que são apenas lecionados part-time, pela tarde ou pela manhã. Por fim, ainda existem opções de cursos veganos, vegetarianos e com alterações para alérgicos.

Eu fiz um curso indicado pelo pessoal do hostel, numa escola chamada Siam Rice. Era oferecido por uma local, em sua residência, com opções de cardápios veganos e vegetarianos.

nosso amiguinho em Chiang Mai
Nosso amiguinho, filho da professora… ele queria muito mostrar as cabrinhas que eles tinham no quintal

Escolhi fazer o curso completo, e aprendi a cozinhar 7 pratos diferentes. Um detalhe: depois de cozinhar cada um dos pratos nós nos sentávamos e comíamos. Então vá de barriga bem vazia!

Curso de Culinária em Chiang Mai
Eu muito orgulhosa dos meus rolinhos primavera

Foi incrível. Só de estar na casa da professora já me senti em uma experiência autêntica. Ela ainda levou a gente bem cedinho para o mercado de Chiang Mai e nós aprendemos a escolher os ingredientes.

Tive a sorte de fazer o curso com mais duas meninas, o que fez com que fosse quase uma aula particular. Aprendi a fazer rolinho primavera, pad thai, sticky mango… Foi uma experiência muito legal!

Curso de culinária vegana em Chiang Mai
Mango Sticky Rice
Curso de culinária vegana em Chiang Mai
Pad Thai Vegano

Eu recomendo demais essa experiência. Você recebe um certificado e ainda leva um livrinho com todas as receitas, pra cozinhar quando voltar pra casa. E você ainda ajuda uma família local (no caso do Siam Rice).

  • Aula de Muay Thai

Eu queria muito me manter ativa durante a viagem. Mesmo andando muito, tentava sempre achar uma outra atividade pra fazer.

Treinar Muay Thai na Tailândia foi outra experiência bem autêntica que eu adorei.

Estava andando pela Old Town quando encontrei uma academia de muay thai, perguntei o valor (R$25 a aula, mas com preços por mês e semana), e voltei no mesmo dia pra treinar.

O instrutor não falava inglês, nem nenhuma das meninas que treinava (era uma turma só de mulheres). Mesmo assim, conversando por mímica e por algumas palavras que eles sabiam, eu consegui treinar e me diverti muito. As meninas pegavam pesado, e eram lutadoras com graduação bem alta, mesmo assim consegui acompanhar numa boa.

Fiz uma semana de aulas, e recomendo muito! Depois eu acabei conhecendo um expatriado que me levou pra escola de muay thai dele, onde treinei de graça pelo restante dos dias.

Eu amei tanto que acabei convencendo todo mundo no hostel a treinar também. E todos amaram. Acho que vale experimentar!

  • Fazer uma massagem tailandesa

Ir para Tailândia e não fazer uma massagem tailandesa é um crime capital. Juro.

Você nem precisa ser amante daquele tipo de massagem mais bruto (eu não sou), existem massagens pra todos os gostos. E o melhor: muito barato.

Na minha opinião, os melhores lugares para se fazer massagem no Sudeste Asiático inteiro são: Chiang Mai e Ubud.

Eu fiz massagem praticamente todos os dias em que estive em Chiang Mai. Eu escolhia o combo cabeça, ombros e pés. Era o paraíso na Terra. Só de lembrar meu corpo já fica relaxado.

Você pode escolher o que você quiser, 1 hora de massagem em uma parte específica, 1 hora no corpo todo, só nos pés… A variedade é gigantesca.

Além disso, você pode variar na brutalidade da massagem. Eu não gosto de massagem que dói, então pedia pra fazerem bem de boa aplicando uma pressão confortável.

Tome cuidado, porque se você pedir pra ser bem forte, vai ser bem forteEm alguns lugares vi umas técnicas bem bizarras usando os joelhos para aplicar pressão.

Eu tive a sorte de encontrar um spa bem legal perto do Lullaby que além de barato era maravilhoso. Eu fui lá todos os dias e levei todos os hóspedes. Todos amaram.

  • Visitar o Elephant Nature Park

Pessoal,não façam visitas a santuários de elefantes. Eles vão te falar que tratam os animais de forma mais “humana”, que são animais resgatados e etc., mas a verdade é que pouquíssimos respeitam de verdade os elefantes.

Eu só posso garantir a autenticidade do Elephant Nature Park. Eles não são um “santuário”, mas sim um espaço de resgate e recuperação de elefantes.

Animais lindos

Os animais não ficam amarrados, nem são usadas correntes ou formas de castigá-los. Eles explicaram que em diversos lugares os cuidadores beliscam os animais para obrigá-los a fazerem truques. É abominável.

No Elephant Nature Park os elefantes andam livremente pelo espaço, e fazem o que bem entenderem. É bem legal estar perto desses animais incríveis e observá-los.

Visitar elefantes em Chiang Mai
Eu e minha amiga suíça com as roupinhas obrigatórias pra visitar os animais

Antes de entrarmos em contato com os animais, nós aprendemos a fazer uma bolinha medicinal. Um punhado de bananas verdes, tâmaras, sal, entre outros ingredientes, que fornecem vitaminas aos elefantes e ainda os forçam a tomar mais água (por conta do sal) e assim mantê-los hidratados.

Visita aos elefantes em Chiang Mai
Bolinhas medicinais para os elefantes

Por ser bem conhecido, e pelas visitas serem limitadas a um grupo pequeno de pessoas (pela paz dos animais), as vagas se encerram rapidamente. Por isso, aconselho que vocês agendem a visita com antecedência. Você pode fazer isso pelo site deles mesmo.

Eles têm vários tipos de experiência diferentes. Você pode passar o dia com os elefantes, ajudar a cuidá-los e até passar um tempo no parque como voluntário. A experiência mais básica sai por 2500 Baht, aproximadamente R$310. É mais caro que os santuários, mas é a única forma verdadeiramente respeitosa de se encontrar com os elefantes.

A experiência é linda, ao mesmo tempo que corta o coração, muitos deles têm cicatrizes e passaram por abusos extremos.

  • Festar no Zoe in Yellow Bar

Gente, eu ia toda noite nesse bar. O pessoal chama de “yellow bar” e ele fica no meio da Old Town. Basicamente é onde todos os turistas se encontram todas as noites.

Rola bastante daquilo que vemos em outros lugares da Tailândia. Prostituição e outras coisas do tipo. Mesmo assim, é muito legal.

Eu conheci muita gente legal, inclusive um menino com quem acabei viajando para Bangkok. Viajar sozinha e sem planos tem dessas coisas hahaha.

Eles fecham à meia noite e o pessoal vai pra outras boates, como o Spicy e o Warm Up Café. Eu só fui no Spicy e me diverti horrores.

É importante lembrar que, viajando sozinha, alguns cuidados são imprescindíveis. Tomem bastante cuidado com a bebida de vocês. Eu pedia sempre uma smirnoff Ice ou algo do tipo e mantia a mão no gargalo da garrafa o tempo todo.

Buckets na Tailândia
Minha bebida vs. a bebida dos meus amigos (os buckets são a marca registrada da Tailândia)

Além disso, não aceitem convites (principalmente de locais) para irem pra uma festa privativa de after. É assim que geralmente acontecem certos golpes. Eles te levam pra um role bem errado, que supostamente é de graça, e no final te cobram um absurdo pra você conseguir sair.

A Tailândia é super segura, mas ainda assim é sempre bom tomar cuidado, principalmente estando sozinha.

  • Comer muito, comer bem, e comer barato

Só de lembrar de Chiang Mai já me dá fome. Juro. A comida era absurdamente deliciosa.

Como vocês sabem, eu sou vegana, e deixa eu te contar: Chiang Mai é um paraíso para os veganos.

Foi um restaurante mais gostoso que o outro, e tudo com preços muito mais em conta que nas praias. Eu comi tudo aquilo que não tinha comido nos dias de visita às praias e ilhas.

Fiz o guia vegano em Chiang Mai, mas já te falo que a grande maioria dos restaurantes é incrível. E tem opções pra todos os gostos, comida tailandesa raíz e opções mais ocidentais. A comida de rua também é de outro mundo.

  • Visitar o Night Market

Complementando a dica anterior, recomendo que você visite pelo menos um mercado noturno em Chiang Mai. O mais famoso é o de domingo, mas vale a pena visitar os outros também.

Eu fui no de domingo duas vezes e amei. São várias barraquinhas, na rua mesmo, com comidas, artesanato, itens falsificados… é bem interessante. Os cheiros são incríveis, os sons, a energia dos turistas andando pelas barraquinhas e entre os templos. Só de escrever já me dá saudade.

O mercado de domingo funciona na rua principal da Old Town, a Rachadamnoen Road e percorre um longo caminho pelo asfalto.

Recomendo que você vá de barriga vazia, porque provavelmente vai comer bastante! E ah, os preços são bem tranquilos, então dá pra visitar E comprar mesmo sendo mochileira.

Ah, só roupinhas tradicionais que eu sugiro comprar de dia e não nos mercados.Isso porque, eles geralmente pesam a mão por estar cheio de turista (mesmo assim não chega a ser caro, e sempre é possível pechinchar).

  • Visitar Pai

Pai é uma cidade ainda mais roots que Chiang Mai. Fica também mais ao norte da Tailândia, a 3 horas de Chiang Mai.

Várias empresas de turismo fazem o trajeto diariamente (quase de hora em hora), e cobram por volta de 200 baht (R$25). Algumas pessoas se aventuram e vão de scooter. Muitas dessas se envolvem em acidentes.

Isso porque a estrada é bem tensa, com muitas curvas. Então, se você não tem experiência pilotando motos em curvas, não vá de scooter. Não tem motivo nenhum pra se colocar nesse risco. Vi acidentes bem feios.

Pai é bem fofa e turística, e vou fazer um post inteirinho com dicas sobre ela. Mas desde já quero deixar bem claro: reserve um tempinho pra visitar Pai se você for a Chiang Mai. Vale bem a pena.

Datas Especiais

Se você tem bastante flexibilidade para decidir quando vai para a Tailândia, vale a pena saber que existem dois festivais incríveis em Chiang Mai. O Songkran e o Yee Peng.

  • Songkran

O Songkran é o ano novo tailandês e é conhecido também como o “Festival das Águas“. Acontece todo ano do dia 13 ao dia 15 de abril. É um dos festivais mais legais de participar, mas você tem que ir bem avisado.

Durante o Songkran literalmente tudo e todos são afetados, e é praticamente impossível ficar seco por mais de uma hora. Todos molham-se uns aos outros com baldes, pistolas d’água e até mangueiras.

Então saiba que, durante esse período, o melhor a se fazer é sair com o celular, dinheiro e tudo que você não quer que molhe dentro de um daqueles plasticozinhos protetores. Uma amiga perdeu o celular porque não fez isso.

Tirando esses “detalhes”, o festival é incrível! Todos saem vestindo roupas coloridas, o clima é de felicidade e o pessoal se respeita bastante. Ninguém é poupado, mas você não percebe um clima agressivo em momento algum.

O festival acontece no país inteiro, mas é bem intenso em Chiang Mai. Por lá ele acontece na Old City, e a festa se concentra na frente do Tha Phae Gate.

Ah, vale lembrar que em Chiang Mai o festival dura um pouco mais. Já é quase impossível ficar seco a partir do dia 12, até o dia 16. Então, se estiver por lá, saia prepardo.

  • Yi Peng

Esse festival é lindo e eu quero muito participar ano que vem. É conhecido como “Festival das Lanternas” e é de tirar o fôlego.

O ato de liberar lanternas tem uma razão simbólica. Simboliza deixar para trás as doenças e infortúnios do ano passado, e os budistas acreditam que se você fizer um pedido no momento que solta a lanterna, ele vai se realizar.

Além do soltar das lanternas, rolam várias outras atrações pela cidade. Shows de dança, fogos de artifício… A cidade fica linda!

Já coloquei na minha lista de “coisas para fazer antes de morrer”. Te aconselho a fazer o mesmo.

Visite Chiang Mai

Depois de ir pra Chiang Mai, confirmei tudo que eu tinha ouvido de outros mochileiros. É uma cidade absolutamente incrível.

Não por acaso, é a cidade que muitos expatriados escolhem para morar. Eu moraria lá com certeza, e só fui embora porque ainda tinha muito para ver pelo Sudeste Asiático.

Sei que muita gente tem um período curto para viajar, e Chiang Mai muitas vezes fica de lado na maioria dos roteiros pela Tailândia. Mas eu juro: você tem que visitar Chiang Mai.

Se você tiver mais dicas, ou dúvidas deixe nos comentários!!

Beijinhos.

You may also like

2 Comentários

  1. Olá, poderia dizer o nome do spa das massagens? Vou visitar Chiang Mai daqui a 1 mês e quero muito experimentar!!
    Obrigada pelo post cheio de informações 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *