Coisas que ninguém te conta sobre Bali

Bali, no instagram, parece ser um paraíso na Terra. Tanto é que meu sonho de conhecer a ilha começou depois de assistir o filme “Comer, Rezar e Amar”. O filme mostrava um lugar lindo, místico e quase perfeito. Mas Bali, de verdade, não é perfeita. E isso pouca gente vai te contar. 

Não que Bali não seja maravilhosa. É ainda um dos meus lugares preferidos na Terra. Só que eu fiquei bem desapontada com as primeiras impressões, e demorei bastante pra me apaixonar de novo. Só depois de morar lá por dois meses que descobri porque tantas pessoas decidem se mudar pra lá definitivamente.

Se minhas expectativas fossem mais realistas,eu com certeza teria me apaixonado por Bali assim que cheguei. Por isso, nesse post vou compartilhar com você as coisas não tão legais sobre Bali, mas que vão te deixar mais preparada pra se apaixonar pelas partes maravilhosas.

Sobre Bali

Antes de começarmos com a lista, acho legal te apresentar Bali. Eu cheguei lá sem fazer ideia de onde estava me metendo.

Bali é uma ilha e provincía da Indonésia, a única ilha completamente budista do país.A organização da ilha é meio complicada de entender. As regiões são praticamente coladas umas nas outras e tudo é muito próximo. As regiões mais conhecidas são: Kuta, Canggu, Seminyak, Ubud, Nusa Dua e Uluwatu.

  • KUTA

Kuta é uma área bem ocidentalizada (a maioria é, mas kuta é bizarramente ocidental) que foi tomada pelos turistas. É um lugar onde você vai encontrar australianos festando loucamente, venda de drogas, prostituição, entre outras coisas barra pesada. Por esse motivo, quase todo mundo vai te dizer pra tirar Kuta do seu roteiro em Bali.

  • CANGGU

Canggu é a região em que a maioria dos expatriados vive. A área não chega a ser tão ocidentalizada quanto Kuta, mas você encontra várias opções de café australianos, work spaces, bares, spas, academias e etc.

É basicamente um centrinho, onde todas essas coisas estão perto uma das outras. É a parte da ilha em que você vai ver vários influencers tirando fotos de smoothie bowls e onde você vai encontrar as festas e bares mais conhecidas em Bali (Old mans, Pretty Poison, The Lawn…).

A maioria das pessoas em Canggu é jovem e linda. Juro, você anda com o queixo caído.

Uma das melhores coisas em Canggu é que, apesar de todo mundo andar de moto, é possível andar a pé de um lado pra outro. Algo quase impossível de se fazer em Uluwatu. E o motivo pelo qual eu acabei morando em Canggu.

  • ULUWATU e NUSA DUA

Uluwatu é a parte mais conhecida e amada pelos surfistas. Nas praias de Canggu você vai ver muita gente surfando, mas quase todos vão estar aprendendo ou fingindo saber surfar. Nas praias de Uluwatu você encontra os surfistas mais raíz.

As opções de lojas, academias, spas e cafés são mais limitadas em Uluwatu e tudo é bem afastado. Então as pessoas andam todas de scooter e é praticamente impossível se movimentar a pé.

Por lá você também encontra uns beach clubs bem legais, tipo o Omnia e o Single Fin. Mas é uma área bem mais diurna, pra aproveitar bem as praias, o surf, do que pra festar.

Nusa Dua é colada em Uluwatu e é meio complicado de entender onde uma região começa e a outra termina. É onde ficam as praias mais vazias, então é uma delícia de lugar pra quem quer curtir a praia e descansar com tranquilidade.

  • UBUD

Ubud é onde você vai encontrar todos os clichês de Bali: campos de arroz, floresta de macacos, balanços lindos e altíssimos, aulas de yoga, encontro com elefantes e cafés veganos aos montes.

A cidade em si é bem movimentada e já está também bastante ocidentalizada. Pra você viver a tranquilidade da Julia Roberts em “Comer, Rezar e Amar” é melhor se hospedar fora da cidade, nas áreas próximas a Telalang, por exemplo.

Em Ubud você vai encontrar jovens e pessoas mais velhas, e muitos casais. É um lugar bem romântico, mas também ideal pra quem estiver fazendo uma viagem com propósito mais espiritual e sozinha.

  • SEMINYAK

Seminyak é a parte mais “chique” de Bali. Ali ficam os resorts mais sofisticados e as lojas e restaurantes mais caros. Por esse motivo, é também a região onde o pessoal mais velho vai parar.

É um lugar muito legal pra ir jantar quando você estiver querendo algo um pouquinho mais requintado, e também pra visitar spas de alto padrão.

Ah, também é onde ficam o La Favela e o Mrs. Sippy, com festas bem famosinhas em Bali.

Agora que você já sabe um pouco sobre a ilha, vamos para a lista de coisas que ninguém (ou quase ninguém) vai te contar sobre ela:

As praias de Bali não são todas tão lindas assim

Fui pra Bali depois de visitar as Filipinas, onde as praias são bizarras de lindas. Daquele tipo que arrepia seu corpo inteiro. Então quando cheguei em Bali meu desapontamento não podia ter sido maior.

A primeira praia que visitei se chamava Echo Beach, em Canggu. A areia era preta, o que soa exótico e lindo, mas que na realidade não chega aos pés das praias de areia cristalina e água azul turquesa.

Praias em Bali
Echo Beach em Canggu

Não que não existam praias lindas em Bali, mas eu não achei nenhuma na região de Canggu, Kuta e Seminyak. As únicas que fizeram meus olhos brilharem foram as praias de Uluwatu e Nusa Dua. As minhas preferidas foram:

  • BALANGAN
  • BINGIN
  • PADANG PADANG
  • PANDAWA
  • GUNUNG PAYUNG
  • GREEN BOWL

Fora da ilha de Bali você também encontra praias lindas, como em Nusa Penida, Ilhas Gilli e Desert Point. Então, se seu objetivo for visitar praias maravilhosas, nem perca seu tempo em Canggu, Kuta ou Seminyak.

Coisas que ninguém te conta sobre Bali Indonésia
Beach in Nusa Penida

Bali não é o poço de espiritualidade que a gente imagina

Essa foi a surpresa que mais me decepcionou em Bali. 

Quando decidi viajar pela Ásia, meu maior objetivo era aprofundar meu contato comigo mesma, com a espiritualidade, com o yoga e com a filosofia oriental. 

Encontrei muito disso na Tailândia, mais especificamente em Chiang Mai. Só que em Bali demorei muito pra encontrar alguma experiência espiritual autêntica.

Bali sempre foi o jardim dos australianos, então grande parte do que existe por lá hoje é na verdade uma construção para e pelos turistas.

As ruas estão lotadas de lojas ocidentais e você percebe uma certa pretensão que não existe na Tailândia ou nas Filipinas. Muita gente vai lá pra ser “estilosa” e pra viver um estilo de vida que pouco tem a ver com o budismo e com toda a ideia de viagem espiritual.

Claro que você vê muitas práticas diariamente. Os locais fazem oferendas todos os dias, e vários rituais acontecem com frequência. Mas encontrar alguém que realmente compreenda os rituais é algo bem difícil se você não tem um guia. Eu voltei pra casa com muitas perguntas quanto ao budismo balinês e as práticas que assisti. 

Então, é possível ter uma visita espiritual à Bali, mas saiba que esse não é mais o principal atrativo da ilha. E se esse for seu objetivo, sugiro que foque em uma estadia mais longa em Ubud, e visite estúdios de yoga e templos. Meus preferidos são:

  • Estúdios de Yoga:

Odyssey Mvmt em Canggu
Yoga Barn em Ubud
Morning Light Yoga em Uluwatu

  • Templos:

– Pura Luhur Uluwatu

– Tanah Lot

– Pura Tirta Empul

 

Templos em Bali
Pura Luhur Uluwatu

Bali não é tão barato assim

Eu sei, todo mundo te fala que Bali é ridiculamente barato. Mas vim te mandar a real: não é bem assim. 

Não é impossível visitar Bali em uma viagem bem barata, mas isso significa que sua viagem não vai ser tipo aquela que a maioria dos blogueiros faz. Nada de cafés famosos, vilas bizarras e lifestyle de cinema. A não ser que você vá com um grupo ou receba em dólar.

Pra vocês entenderem o que eu estou falando, vou mostrar pra vocês os gastos básicos:

  • ALIMENTAÇÃO

Comer em lugares conhecidos (aqueles com smoothie bowls lindos) sai bem fácil por  100 a 150 mil Rúpias Indonésias (25 – 35 reais). Isso pode soar barato, mas quando você gasta por volta de 100 reais por dia só em alimentação os gastos se somam bem rapidinho.

O foco tem que ser em warungs que sirvam comida indonésia, e as barraquinhas de rua. Minha dieta em Bali consistia basicamente de: Nasi Goreng, Tempeh, arroz e legumes, e tudo que você encontra em warungs indonésios.  

onde comer em Bali
Meu prato lindo no Waruna em Canggu

Minha alimentação nesses lugares nunca saía por mais de 40k (10 reais). Em uma barraquinha de Nasi Goreng em Uluwatu eu gastava 10k (R$2,50) pra comer um prato enorme com Tempeh pra dar e vender. 

Meus warungs preferidos são o Campur Campur em Uluwatu, o Bumi e Waruna em Canggu e o Kedaton em Ubud.

Ah, e cozinhar não sai mais barato que comer fora, a não ser que você esteja ficando lá por bastante tempo e com mais pessoas pra dividir as compras.

  • ACOMODAÇÃO

Os hostels também não são tão baratos quanto na Tailândia e nas Filipinas. Tanto é que eu acabei ficando em uma homestay, e não em um hostel.

Homestays são a forma mais barata de acomodação em Bali. Só que pra realmente valer a pena você tem que ficar um tempinho longo (mais de uma semana em um só lugar/região) e negociar com os donos. E negociar pessoalmente, porque eles fazem preços muito melhores que os que você consegue pela internet.

Caso você vá ficar menos tempo, vale a pena dar uma olhada no Agoda pra encontrar hostels mais em conta. Meus hostels preferidos por lá foram o Farm Hostel, em Canggu, e o Nazeki Villa em Nusa Dua.

  • DEMAIS GASTOS

Pra viver aquela viagem digna de instagram: fazendo yoga, indo para academia, spas e fazendo passeios, você vai gastar bem mais que em outros países do sudeste asiático.

A maioria dos gastos vale bem mais a pena quando você fica por um tempo maior por lá, incluindo yoga, aluguel de motos… 

É óbvio que Bali é bem mais barato que visitar países da Europa Ocidental, a Austrália e os Estados Unidos. Mas os custos da viagem variam muito dependendo do seu roteiro e objetivo. 

Você tem lembrar que a maioria das pessoas que moram em Bali recebem em dólar, então o que é ridiculamente barato pra eles pode não ser tão barato assim pra quem recebe em reais. 

O trânsito de Bali é muito caótico

Ok, isso você provavelmente já sabe. Muita gente diz, mas eu quero reiterar: o trânsito de Bali é um terror. 

Ninguém anda por lá, e é possível alugar moto sem ter carteira de habilitação ou experiência. Você vê crianças e gente que não faz ideia do que está fazendo pilotando pelas ruas. 

Além disso, não existem sinais de trânsito. Eu vi pouquíssimos semáforos (geralmente em lugares mais movimentados como Seminyak e Kuta), e as pessoas fazem todo o tipo de loucura que você imaginar. 

Por isso presenciei vários acidentes, e amigas próximas presenciaram até a morte de um garoto em um acidente de moto. 

Então, pelo amor, tenham cuidado. Em viagens a gente as vezes pensa que nada vai acontecer, mas é aí que mora o perigo. Eu vi coisas muito feias acontecerem com pessoas próximas, por pura falta de precaução. 

Eu não aluguei moto nenhuma, e andava de cima pra baixo em Canggu. É quase impossível fazer o mesmo em Uluwatu, então o melhor conselho que eu posso dar é o seguinte: se você estiver planejando ir pra Bali, tente tirar a habilitação pra moto ou criar mais familiaridade pilotando motos antes de você ir. E tome muito cuidado. 

Não pilote sua moto bêbado/bêbada, use o Grab quando precisar, não dê a louca na velocidade e preste bastante atenção. 

Rolam muitos golpes em Bali

A maioria das pessoas se preocupa com golpes na Tailândia, e a maioria dos blogs fala bastante sobre isso. Mas tenho uma triste notícia pra te dar: rolam muitos golpes em Bali também. 

Eu fui vítima e posso falar por experiência própria: é importante tomar alguns cuidados. Vou listar alguns deles:

  • Cuidado na hora de sacar dinheiro

Muitos caixas eletrônicos em Bali são adulterados para clonar seu cartão. 

No meu caso, meu cartão ficou preso dentro da máquina. Ninguém conseguiu tirar e algumas horas mais tarde todo o meu saldo foi sacado em 3 caixas distintos. Eu não faço ideia de como eles conseguiram minha senha, mas o fato é que conseguiram. 

O mesmo aconteceu com alguns amigos, então sugiro que vocês tenham bastante cuidado. Prestem atenção em qualquer coisa “estranha” no caixa eletrônico, e tente ir em caixas dentro de bancos. 

Se mesmo assim seu cartão ficar preso, ligue imediatamente pro seu banco ou pro provedor do seu cartão (master ou visa) e cancele. Vai evitar muita dor de cabeça. 

  • Cuidado na hora de trocar dinheiro

Outro golpe que ocorre com frequência é dado pelos lugares de câmbio. Vocês vão ver que em Bali existem câmbios na beira da rua, em barraquinhas precárias parecidas com aquelas que vendem jogo do bicho no Brasil. 

Eu evitaria esses lugares a todo custo. 

Mas até em câmbios com aparência mais “confiável” é melhor você contar e recontar o dinheiro várias vezes. O que alguns funcionários fazem é contar o dinheiro na sua frente e, depois disso, jogar parte do dinheiro no chão ou no balcão, te entregando um valor mais baixo dentro do envelope no final. 

  • Cuidado com taxistas (use aplicativos sempre que possível)

Por fim, muito cuidado com taxistas. Eles também aplicam vários golpes, geralmente superfaturando corridas.

Eu lembro que assim que cheguei em Canggu não fazia ideia dos preços ou distâncias e pagava 100k pra qualquer lugar. Depois fui descobrir que de grab, qualquer lugar dentro de Canggu não saía por mais de 30k. 

Por isso, recomendo que você use aplicativos tipo Grab e Go-jek pra se locomover por Bali. E se não tiver jeito, pergunte pra outras pessoas que estiverem por lá a mais tempo quanto custa uma corrida até seu destino, e não aceite um táxi que cobre muito mais do que isso.

Bali é uma ilha hiper lotada

Eu tinha uma ideia muito errada sobre Bali. Imaginava um lugar com muito verde, com casas distantes umas das outras, e onde você poderia meditar sempre. 

Só que Bali hoje se tornou um centro turístico muito movimentado e lugares como esses são bem raros na ilha. 

Em Canggu, Kuta e Seminyak você vê gente o tempo todo. E é muito mais um aglomerado de turistas do que de locais. 

O lugar mais próximo de um ideal de quietude que eu fiquei em Bali foi em Uluwatu e Nusa Dua. Ubud também tem uma vibe mais tranquila, se você não ficar hospedado na cidade. Eu fiquei em Telalang e foi incrível. 

Eu fui bem iludida com o filme da Julia Roberts. Achava que ia andar de bicicleta pelos campos verdes, acordar com o som da floresta e dos bichos, encontrar um brasileiro lindo vagando sozinho e me convidando pra ir pra uma ilha deserta com ele… e não foi nada disso. 

A realidade envolve muito barulho do trânsito, gente e mais gente, para alguns poucos momentos de contemplação. Homens bonitos existem aos montes, então mesmo que eu não tenha encontrado um brasileiro encontrei de outras nacionalidades. Mas sigo aguardando um convite pra alguma ilha deserta.  

Aqueles campos de arroz em Ubud, por exemplo, estão geralmente lotados de pessoas e não completamente vazios como eles fazem parecer nas fotos. A mesma coisa nas praias. Principalmente se estiver rolando algum campeonato. 

Assim, se você estiver indo pra Bali com o objetivo de meditar, contemplar, etc. Eu sugiro que evite os lugares mais conhecidos como Kuta, Seminyak, Canggu e Ubud (a cidade). Dizem que o norte é bem legal e muito mais vazio, mas nunca fui pra poder indicar sem sombra de dúvida. 

Bali é um destino conhecido pelas festas

Eu não sei se eu era a única pessoa que não sabia disso. Mas eu achava que o destino pros fritos era a Tailândia, e fiquei surpresa de ter descoberto que Bali também era um destino conhecido pra galera que está procurando festas. 

Na ilha existe um roteiro semanal de festas e todos os dias tem algo pra se fazer a noite. 

Meus lugares preferidos eram o The Lawn nas sextas, Pretty Poison nas terças e quintas e Single Fin nos domingos.

Existem também vários hostels de festa, e em Kuta tem uma rua inteira só de boates. Mas as festas são bem trash então eu não recomendo. 

Eu acabei me rendendo ao lado festeiro de Bali, e me diverti bastante. Se essa não for sua vibe eu sugiro ficar por Uluwatu, Nusa Dua, ou em Ubud. 


Bali é um destino que vale muito a pena

Roteiro de viagem em Bali
Ubud

Meu objetivo com esse post foi alertar quem nunca foi à Bali sobre algumas coisas que eu gostaria que tivessem me contado antes da minha primeira visita. Isso porque Bali é uma ilha linda e maravilhosa, mas não é bem aquilo que fazem parecer no instagram e no youtube.

Logo que cheguei fiquei tão decepcionada que pensei em ir embora. Foi só depois de um tempo que comecei a me apaixonar e aceitar Bali do jeitinho que ela é.

Além disso, Bali é diferente de todos os outro destinos conhecidos do num roteiro pelo Sudeste Asiático, principalmente por já ter sido tomada pela influência do turismo (mais até do que a Tailândia). Então, chegar por lá sabendo desses pontos vai fazer com que você preste mais atenção nas coisas maravilhosas que ainda restam intocadas.

Você já foi pra Bali? Como foi sua experiência? E se você não foi, como imagina que vai ser?

Até o próximo post! Beijinhos.

 

 

You may also like

2 Comentários

  1. Muito grata pela sua visão, achei muito interessante.. na verdade espero também não me decepcionar, estou a tentar programar a viagem para encontrar uma cera autenticidade e espiritualidade e não sei se isso será possível… dou feedback vou em Junho (programei Ubud mas o meu hotel é fora do centro, as Gili e as Nusa, já não tinha vontade de ir a Canggu e agora decidI mesmo não ir 😊)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *