Como planejar seu primeiro roteiro em Bali

Bali era um sonho, mas eu não fazia ideia do que esperar. Tudo o que eu sabia sobre a ilha vinha de fotos incríveis de influenciadores digitais. Eu não criei nem pesquisei um “roteiro em Bali” e cheguei lá na cara e na coragem.

Hoje, depois de 2 meses morando lá, reconheço que ter planejado um pouco mais, ou até mesmo pesquisado algumas coisinhas no google, teria ajudado muito.

Por isso, tive a ideia de criar um roteiro em Bali. Mas então lembrei que cada pessoa visita a ilha com um propósito e que nenhuma mochileira ou viajante é igual a outra. Aí percebi que um roteiro pronto podia atrapalhar mais do que ajudar.

Depois de um tempo pensando na a melhor forma de ajudar quem vai visitar Bali pela primeira vez, tive uma ideia. Então, a ideia desse post surgiu. Um overview geral da ilha, repassando dicas que eu gostaria muito de ter recebido, e ajudando você a montar o seu próprio roteiro em Bali.

Dessa forma, você não vai chegar lá perdidona que nem eu cheguei. Nem vai pra Bali seguindo um roteiro que uma blogueira qualquer criou pra você sem sequer te conhecer. A viagem continuará sendo sua, mas com uma ajudinha dessa que vos fala.

Então, que comecem as dicas.

Saiba o que esperar

Você provavelmente imagina Bali como aquela imensidão verde com praias lindas do filme Comer, Rezar e Amar. Mas eu tenho uma novidade pra você: muita coisa mudou depois que a Julia Roberts passou por lá.

Não que Bali já não tivesse sido bastante influenciada pelos visitantes antes disso. A ilha é um dos destinos mais famosos e comuns dos Australianos há muito tempo. Só que depois do filme Bali ficou mundialmente conhecido como um destino paradisíaco.

Mas, como eu falei nesse post, Bali não é exatamente aquilo que todo mundo pensa ser. E pra você não ser surpreendida quando chegar lá, eu já antecipei alguns fatos sobre Bali pra você.

Saiba quando ir

roteiro em Bali
Bali em Abril céu azul e temperaturas agradáveis (bem quente, mas dá pra sobreviver)

A maioria dos países do Sudeste Asiático tem duas estações principais: a rainy e a dry season (período de monções e período de secas).

No caso de Bali a “estação molhada” começa em Novembro e vai até Março, enquanto a dry season vai de Abril a Outubro. Mas, não leve as datas tão à risca. Obviamente, chove na estação seca e também há dias de sol durante o período de monções. Eu peguei uma semana inteirinha de chuva em junho, por exemplo.

Então, o melhor é que você considere essas datas quando estiver planejando seu roteiro em Bali, mas não surte se você não conseguir conciliar as datas.

Ah, a temperatura é praticamente a mesma durante o ano (quente, entre 23 e 34) então não existe a possibilidade de você precisar de roupas de inverno em Bali. Nem mesmo um casaquinho.

Por fim, também é legal evitar os períodos de alta temporada, entre Julho e Agosto. As passagens tendem a ser mais caras e a ilha fica bem cheia. O ideal para ter tranquilidade, preços bons e ainda ver bastante gente nova na ilha é ir nos meses que antecipam a alta temporada: Abril e Junho.

Claro que se você quiser ir em muitas festas e conhecer gente nova a alta temporada é o período certo pra você. Se esse for o caso, aconselho inclusive ir em períodos próximos a campeonatos de surf. A ilha fica lotada de gente.

Saiba quanto dinheiro levar

Sabe aquela ideia de que Bali é super barato? Então, não é bem assim não.

Claro que estou usando como parâmetro o orçamento de mochilão. Os preços não chegam perto dos da Europa Ocidental, por exemplo, mas estão longe de ser iguais aos da Tailândia e das Filipinas.

É possível sim visitar Bali gastando pouco, mas você terá que fazer alguns “sacrifícios”.

Por exemplo, comer naqueles cafés super fofos que você vê no instagram pode sair facilmente por R$40 e os hostels saem por R$55 a diária (estou levando em conta o único hostel que eu recomendaria em Canggu, o The Farm). Então, a dica é comer em Warungs e se hospedar em Homestays.

roteiro em Bali
exemplo de café da manhã por 120.000 Rúpias (R$32) por pessoa

Em um Warung você pode gastar menos de R$10 pra comer um prato gigantesco. Inclusive, em alguns lugares, é possível comer muito pagando menos de R$5! E quase todos os warungs têm opções veganas.

roteiro em Bali
exemplo de prato por 40.000 Rúpias indonésias (R$11)

Já as homestays são uma boa opção porque oferecem muito mais pelo preço (ou menos) de um hostel. Na minha homestay, eu paguei R$45 a diária e tinha um quarto com cama de casal, ar condicionado, banheiro privativo, piscina e café da manhã.

Para conseguir se hospedar em uma homestay o ideal é ir pechinchar pessoalmente. Os valores que você vai conseguir online vão ser bem mais altos, porque os proprietários têm que pagar uma taxa para os sites de reserva.

Por isso, eu diria que para sobreviver em Bali você considere o gasto de R$90 a R$100 diários (esse valor inclui a hospedagem). Se você quiser viver a vida dos influenciadores digitais, suba esse valor para R$250. Isso vai te permitir ficar em uma homestay legal, comer em cafés bonitinhos e beber um drink de vez em quando.

Saiba quanto tempo ficar

Em Bali todo o tempo do mundo não é tempo suficiente. Por esse motivo tanta gente larga tudo e se muda pra lá.

A ilha parece que está fora do mapa mundi, porque você se sente como que num universo singular, onde as coisas que acontecem longe não interessam.

Mas eu sei que nem todo mundo tem o privilégio de poder simplesmente “largar tudo” e se mudar pra Bali. Então, se visitar a ilha é apenas um plano de férias, ou parte de um mochilão, eu sugeriria no mínimo 2 semanas.

Isso porque a viagem pra Bali já é super longa, então qualquer itinerário com menos de 10 dias vai limitar muito a sua visita. Além disso, eu desaconselho veementemente ir pra Bali sem conhecer as ilhas vizinhas (pelo menos uma delas). Já que você vai pro outro lado do mundo, aproveite pra já conhecer o máximo que puder. Minha motivação era “você não sabe quando poderá vir pra cá de novo, então faça tudo que for possível agora”.

Em um mês eu viajei pra quase todos os destinos principais em Bali: Canggu, Uluwatu, Nusa Dua, Ubud, e ainda fui pra duas ilhas vizinhas (Nusa Lembongan e Nusa Penida). Mas as visitas foram rápidas demais pro meu gosto. Por isso acabei ficando lá por 2 meses.

Então, claro que essa decisão vai depender do calendário individual de cada um. Mas eu sugiro ficar mais de duas semanas. Depois da sua primeira visita pode ter certeza que você vai entender o que estou dizendo.

Escolha o visto certo

Você não precisa tirar um visto antecipado pra visitar Bali. Por lá eles emitem o chamado “Visa Upon Arrival” que nada mais é um visto emitido pelo próprio atendente da alfândega, na hora que você entra no país.

Eu estava completamente perdida quando cheguei e não sabia que existiam duas opções de vistos de chegada: o gratuito que não pode ser renovado, e o pago que permite a renovação, no valor de 30 USD. Ambos te dão 30 dias pra ficar na ilha.

Se você está indo sem saber ao certo quanto tempo vai ficar, sugiro pegar o pago. Eu achei que 30 dias seriam mais do que o suficiente e não foram. Então tive que fazer um “Visa Run”, isto é, paguei uma passagem de ida e volta para sair e entrar de volta no país. Obviamente, saiu mais caro que os 30 dólares.

Agora, se você vai com passagem de volta comprada e para ficar menos de 30 dias, fique tranquila que não vai precisar pagar nada!

A Indonésia supostamente requer o certificado de vacinação contra a febre amarela. Não me pediram, mas não vale a pena arriscar. Leve seu certificadozinho.

Por fim, se você vai pra Bali já sabendo que vai ficar por mais de 30 dias, pode solicitar o visto antecipado chamado “Visto social e cultural” que permite que você fique 60 dias no país, podendo ser renovado por mais três meses (uma renovação a cada 30 dias). Para isso, você vai precisar solicitar o visto à Embaixada da Indonésia no Brasil, antes da viagem.

A parte mais difícil: escolha que cidades visitar

Bali é uma ilha bem pequeninha, mas nela você encontra um milhão de destinos. Desde selva a vulcanos, praias de areia preta a águas azuis cristalinas, Bali tem opções pra todo tipo de viajante.

Por isso, pra não ficar super perdida, o ideal é criar uma lista de prioridades. Para isso se pergunte qual o seu principal objetivo ao visitar Bali: experiências espirituais? surfar? ver praias lindas? festar muito? viver aventuras? um pouquinho de cada coisa?

A partir daí, fica mais fácil decidir quais cidades colocar no seu roteiro em Bali.

Canggu

Roteiro em Bali
Echo Beach em Canggu

A cidade mais famosa entre os expatriados. Canggu é, talvez, a cidade mais australiana de Bali. É bem desenvolvida, no sentido de você encontrar praticamente tudo que precisa por lá, mas não chega a ser desenvolvida demais como Kuta, em que você quase não se sente em Bali.

Então, Canggu é ideal para quem está querendo conhecer gente, ir pra festas e não quer perder os “luxos” da vida ocidental. Lá você vai encontrar todo tipo de comida (a maioria dos cafés fofos está lá), supermercados, lojas com marcas ocidentais e australianas, internet rápida…

Por lá você também encontra muitos surfistas (geralmente iniciantes, porque a água fica muito lotada de gente), praticantes de yoga, e nômades digitais.

A praia tem areia preta e a água está sempre lotada de surfistas. Então, eu não recomendaria como o melhor destino pra quem quer curtir uma praia linda e sossegada.

Uluwatu e Nusa Dua

Roteiro em Bali
Balangan Beach

Essa é a parte sul da ilha, onde você encontra grandes penhascos e praias de fazer cair o queixo.

Nessa área as coisas são mais distantes umas das outras, então não há um “centro” como em Canggu, mas sim cafés e lojas bem separadas.

Uluwatu é super famosa entre os surfistas mais experientes. As ondas são ótimas, mas também muito próximas de pedras, então se você for iniciante sugiro tomar cuidado!

É por lá que você vai encontrar aquelas praias paradisíacas e também é onde vai conseguir tirar um tempo pra relaxar estirada na areia. Se esse for seu objetivo sugiro visitaras seguintes praias:

  • BALANGAN
  • GREEN BOWL
  • GUNUNG PAYUNG
  • BINGIN

Se você quiser praias lindas, mas com um pouco mais de gente, pode visitar:

  • PANDAWA
  • PADANG PADANG (onde geralmente acontecem os campeonatos de surf)
Roteiro em Bali
Eu felizona em Pandawa Beach

Por mais que seja uma área bem mais calma que Canggu, é possível sair e fazer amigos em Uluwatu e Nusa Dua. Eu recomendo visitar o Single Fin nos sunsets de domingo, e conferir o calendário do Omnia, um dos mais recentes clubs de Bali.

UBUD

roteiro em Bali
terraço de arroz em Tegallalang

Ubud está no centro de Bali. Lá o clima é húmido e mais fresco que nas praias. Por lá você vai encontrar muitos templos, a floresta de macacos, os grandes terraços de arroz, e as experiências de cura que fizeram de Bali um retiro espiritual famoso.

Essa área é incrível para casais! Juro, é muito romântico! Mas, até se você for sozinha é um destino que você não pode deixar de visitar quando for pra Bali.

roteiro em Bali
a arquitetura linda de Ubud

Mesmo se você não praticar yoga, eu sugiro que você faça uma aula em Ubud. Além disso, é legal visitar o mercado central, mesmo que por pouco tempo (eu sou claustrofóbica então saí correndo depois de 5 minutos lá dentro).

Como a área ficou muito famosa depois do filme Comer, Rezar e Amar, Ubud é bem mais ocidentalizado do que eu esperava. Você encontra vários cafés e restaurantes chiques e ocidentais, e o centro da cidade está bem longe de parecer um reduto espiritual.

Mas, se você ficar um pouco afastada do centro, na área de Tegallalang, por exemplo, vai entender porque Bali é um destino que mexe com sua espiritualidade e bem estar. A paisagem é linda e traz uma calma que eu não senti em nenhum outro lugar.

NUSA ISLANDS (LEMBONGAN, CENINGAN e PENIDA)

Essas ilhas são incríveis! Vistas de tirar o fôlego e praias com areia branca e água cristalina.

roteiro em Bali
as ilhas têm areia clarinha e água cristalina

Além disso, são bem menos ocidentalizadas que Bali. Então, por lá você encontra bem menos movimentação e bem mais natureza. Por esse motivo, alguns classificam as ilhas Nusa como Bali antes da ocidentalização.

Eu sugiro que você separe entre 4 a 5 dias pra conhecer as 3 ilhas.

  • NUSA LEMBONGAN

roteiro em Bali
sunset em Nusa Lembongan

Essa é a ilha principal, onde você chega saindo do porto de Sanur em Bali. Eu sugiro que você vá de Fast Boat, pelo preço médio de 20 USD (ida e volta).

Nusa Lembongan é ideal para quem curte mergulhar e surfar. Lá você já encontra cafés fofinhos, hostels de qualidade e resorts.

  • NUSA CENINGAN

Pra chegar em Nusa Ceningan basta, literalmente, atravessar uma pontezinha amarela.

Do outro lado da ponte você vai encontrar a famosa “Blue Lagoon”, com a água mais azul que você já viu na sua vida!

roteiro em Bali Nusa Ceningan
bem azulzinho né?

Além disso, a ilha tem restaurantes em que é possível deitar em redes e curtir o dia (sugiro o The Sand), a Secret Beach, ondas ótimas pra surfar e penhascos de onde é possível saltar (eu saltei!! e não sei se recomendo hahaha).

roteiro em Bali Nusa Ceningan
o lugar é lindo até quando a maré está baixa (os dogs são uns amores também)

É mais uma ilha pra passar o dia do que pra realmente considerar como um destino no roteiro.

  • NUSA PENIDA

roteiro em Bali Nusa Penida
o famoso viewpoint de Kelingking

Se você ouviu falar de Bali e dos seus arredores através das redes sociais muito provavelmente já viu uma ou algumas fotos de Nusa Penida. Isso porque nessa ilha estão algumas das vistas mais bonitas que eu já vi na vida.

É lá que você encontra a famosa praia Kelingking com um viewpoint de tirar o fôlego em que quase todos os influenciadores digitais têm uma foto. Lá você encontra ainda outras várias praias surreais, e vistas de penhascos que literalmente fazem seu queixo cair.

O ideal é que você alugue uma scooter e dê uma volta pela ilha inteira, visitando os pontos mais famosos.

Eu sugiro ficar por lá entre 2 a 3 dias, e visitar os seguintes lugares:

– Kelingking

– Angel’s Billabong

– Suwehan Beach

– Peguyangan Waterfall

– Atuh Beach

– Crystal Bay (na verdade, só coloquei aqui porque faz parte do roteiro obrigatório, mas sinceramente é super lotado e nada demais, então se tiver pouco tempo pode pular)

– Broken beach

Por favor, reserve a acomodação com antecedência. As opções são poucas e bem mais rústicas que em Bali, então vale a pena reservar com antecedência para garantir o seu conforto. Eu fiquei praticamente um dia inteiro rodando a ilha pra encontrar um lugar com vaga.

E, por fim, olhe para o céu de Nusa Penida à noite, juro. Os únicos “céus” que talvez se comparem ao de Nusa Penida são os Nacpan Beach nas Filipinas, e os do meu estado natal Mato Grosso do Sul (no meio do pantanal e em Bonito). São tantas estrelas e tanta paz que é difícil colocar me palavras.

ILHAS GILI

Outras famosas ilhas próximas a Bali são as ilhas Gili: Gili Air e Gili T.

Gili T. é famosa por ser uma ilha de festas. Apesar de ser um destino muçulmano dizem que lá é que rolam muitas loucuras, inclusive cogumelos (que fizeram a ilha famosa). Como eu não estava nessa vibe, não visitei Gili T.

Já Gili Air é ótima pra quem quer relaxar e curtir um pouco de sossego. Também é um ótimo destino pra quem curte mergulhar, fazer snorkeling e curtir vistas paradisíacas na paz.

Saiba como se locomover

roteiro em Bali Nusa Penida
foto meramente ilustrativa (subi na moto pra tirar essa foto e quase caí)

Eu me considero uma pessoa corajosa, mas tenho meus medos e pilotar uma moto é um deles.

Esse é o modo mais comum de locomoção em Bali. Se você locar uma scooter consegue ir de Canggu a Ubud, de Ubud a Uluwatu, de Uluwatu a Nusa Dua e voltar pra Canggu. Então sim, essa é a forma mais barata.

Mas vou te falar, andar na garupa de uma moto com um mochilão já é bem complicado, imagina pilotar uma com suas tralhas todas penduradas em você.

Além disso, o trânsito de Bali é muito caótico. Sinais de trânsito simplesmente não existem, nem calçadas, nem fiscalização (eu não vi nenhuma durante meus dois meses, mas fiquei sabendo que eles às vezes fazem blitz pra pegar turistas e cobrar uma grana deles).

Então, se você for precavida como eu, sugiro usar o grab ou o go-jek pra se locomover. É bem baratinho e mais seguro do que se aventurar pela primeira vez numa scooter. Se você quiser usar a scooter mesmo assim, use o grab pras grandes distâncias e quando for levar sua bagagem com você. Prometo que vai valer a pena.

Para ir para as ilhas próximas você precisa pegar ferries que, geralmente, saem do porto em Sanur. As passagens não são tão caras, por volta de 20 USD (ida e volta).

Ah, e tudo é muito perto em Bali. Então não precisa reservar um dia inteiro pra se locomover de um lugar pro outro. De Canggu pra Ubud, por exemplo, levei menos de 1 hora.

Pesquise bastante

Bali é um lugar muito conhecido e, por isso, achar informações sobre a ilha é super fácil.

Pra te ajudar a montar seu roteiro eu sugiro usar e abusar do instagram e do pinterest. Eu particularmente amo seguir o thebalibible, balilivin, e balilife.

É bem provável que você vá surtar e querer visitar tudo, mas tente priorizar alguns lugares e deixe espaço para você ser espontânea no seu roteiro. O mais legal nas viagens é deixar que o destino acabe te levando a novos lugares que você nem esperava.

Eu tenho certeza que, assim como eu, você vai acabar se apaixonando por Bali e querer voltar!

Boa viagem 🙂

 

 

 

 

 

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *