Livros que li na viagem

Como meu papel nesse blog é mais do que informar, mas também inspirar e oferecer formas de libertação e empoderamento, nada melhor do que eu também trazer dicas de livros. Esses aqui foram os livros que li na viagem.

Dessa vez, trouxe a lista dos livros que li viajando sozinha.

Ler durante a viagem é mais do que uma forma de ocupar o tempo. É também permitir que um momento de expansão seja complementado e melhor aproveitado através da leitura.

Me parece que a leitura durante a viagem tem um sabor diferente. Talvez porque ela não é afetada pela neblina das preocupações que temos no dia-a-dia, ou porque é mais um elemento de memória.

Então, eu sugiro que você leia muito viajando. Você pode fazer como eu e ir trocando de livros à medida em que viaja, já que a maioria dos hostels permita que você leve um livro se deixar outro. Eu ainda comprei livros em sebos e troquei com outras mochileiras.

O importante é aproveitar o tempo sem preocuopações para nutrir a cabeça.

Lista dos livros que li:

  • O Livro do Riso e do Esquecimento

Lista dos livros que li na viagem
“O Livro do Riso e do Esquecimento”, Milan Kundera

Até hoje não consegui terminar de ler “A Insustentável Leveza do ser” do Milan Kundera. Algo sobre o livro nunca captou minha atenção, e eu sempre me pego deixando ele de lado por algum outro livro que chama mais minha atenção.

Com “O livro do Riso e do Esquecimento” isso não aconteceu. São vários contos independentes, com histórias que têm como cenário a República Tcheca pós invasão russa.

O livro é muito bem escrito, de uma forma quase lírica. É bastante erótico, e por vezes tem uma vibe muito dark. Mesmo assim, foi um dos livros que mais me impactou (e de forma positiva) durante a viagem.

É daquelas obras que mesmo quando você termina, passa dias e horas pensando sobre as reflexões que ela invoca. E eu fiquei assim. Terminei de ler na Tailândia, numa ferry indo de Phi Phi para Ao Nang. Lembro de ficar um bom tempo olhando pro oceano e digerindo tudo.

É uma ótima crítica, através das metáforas e de uma postura quase cômica as vezes, acerca do totalitarismo e das implicações de regimes desse tipo.

Eu amei e recomendo muito!

 

  • Seus Olhos Viam Deus

Livros que li na viagem.
“Seus olhos viam Deus”, Zora Neale Hurston

Li esse livro em inglês, e foi uma leitura bem difícil. Os diálogos são escritos com termos típicos da comunidade negra, e escritos como são falados. Então o resultado é mais ou menos assim:

”Dey gointuh make ‘miration ‘cause mah love didn’t work lak they love, if dey ever had any. Then you must tell ‘em dat love ain’t somethin’ lak uh grindstone dat’s de same thing everywhere and do de same thing tuh everything it touch. Love is lak de sea. It’s uh movin’ thing, but still and all, it takes its shape from de shore it meets, and it’s different with every shore.”

Por isso, a leitura foi um verdadeiro desafio, e eu me via lendo em voz alta pra ver se eu entendia certas partes.

É uma obra norte-americana clássica, sobre uma jovem mulher negra que quer ser dona de seu próprio destino. Você assiste, em primeira mão, a trajetória de formação de uma mulher.

O livro fala muito sobre amor, espiritualidade, segregação e sobre as escolhas que fazemos para sermos verdadeiramente livres e independentes. É uma obra prima.

Eu já quero reler, porque sinto que agora conseguiria ler com mais facilidade. Vou tentar ler em português também, isso já facilita!

  • Canção de Ninar

Lista de livros que li
“Canção de Ninar”, de Leila Slimani

Eu encontrei esse livro no The Farm Hostel, em Canggu (Bali).

É um suspense psicológico, parecido com “A Garota no Trem” e “Garota Exemplar”. E é escrito numa linha temporal parecida com a série “The Sinner”, do futuro para o passado.

Desde o começo você sabe que a babá matou os filhos dos patrões, mas você não sabe os motivos. E é isso que o livro vai contar pra você.

É uma escrita muito cativante. Terminei em um dia e meio, porque não conseguia parar de ler.

A história é bem dark, mas tem uma crítica bem legal sobre a indiferença e o individualismo. É bem interessante.

  • Minha vida não tão perfeita 

Lista de livros que li na viagem
“Minha vida não tão perfeita”, de Sophie Kinsella

 

Sabe quando você precisa de um livro pra te desligar da vida? Tipo quando você precisa de uma comédia romântica pra restabelecer sua fé de que existe fofura e coisas lindas na vida?

Esse livro é tipo isso. Um remédio quase. Logo que terminei o “Lullaby” encontrei esse, num hostel em Uluwatu.

A história é bem clichê, de uma jovem que pensa que sua vida é horrível, e que acha que sua chefe tem a vida perfeita. E quando tudo parecia estar começando a dar certo, as coisas dão mais errado ainda. Mas é aí que ela percebe que pode usar e apreciar as circunstâncias ruins.

É um livro que você lê e te deixa mais “leve” sabe? Tem o mocinho e a mocinha que a gente ama, e tem uma mensagem bem legal. A de que podemos ser felizes quando decidimos apreciar o que temos.

  • O Alquimista

Livros que li na viagem
“O Alquimista”, de Paulo Coelho

Ok, se essa lista não fosse “lista dos livros que li na viagem”, mas “lista dos livros pra quem quer viajar o mundo”, esse livro seria um dos primeiros.

Eu tinha uma certa resistência com o Paulo Coelho, e nunca tinha nem pensado em ler nenhum livro dele. Mas quando eu encontrei esse livro no aeroporto em Bali eu precisei comprar, afinal a sinopse dizia assim:

Esta história, brilhante em sua simplicidade e com uma sabedoria que nos estimula, é sobre um jovem pastor da Andaluzia chamado Santiago que viaja de sua cidade natal na Espanha para o deserto do Egito em busca de um tesouro escondido perto das Pirâmides. Ao longo do caminho, ele encontra uma cigana, um homem que se diz rei e um alquimista, que lhe indicam a direção para a sua busca. Ninguém sabe que tesouro é esse, ou se Santiago será capaz de ultrapassar os obstáculos de seu trajeto. Mas o que começa como uma jornada para encontrar bens mundanos se transforma na descoberta do tesouro que se encontra dentro dele mesmo. Emocionante e profundamente humano, este clássico contemporâneo é um testamento eterno do poder transformador dos nossos sonhos e da importância de ouvirmos nossos corações.

O livro é inspirador, principalmente para aqueles que ousaram ou ousam constatemente seguirem seus sonhos. Fala sobre escutar seu coração e não se resignar, custe o que custar.

Esse foi um dos 3 livros mais impactantes da viagem.

  • Sobre a Brevidade da Vida 

Livros que li na viagem
“Sobre a brevidade da vida”, de Sêneca

Esse livro é um clássico grego. E eu comprei ele assim que cheguei em Paris, depois de Atenas, talvez por estar inspirada pela visita ao berço da filosofia grega.

É uma obra bem curtinha, mas é um tapa na cara. Sêneca critica a forma como utilizamos o tempo que nos é dado, como o desperdiçamos e morremos dizendo que não fora suficiente.

Sêneca acredita que, quando bem vivida, a vida é mais do que suficientemente longa.

A forma como ele escreve é as vezes agressiva, eu me senti pessoalmente atacada algumas horas. Mas é um livro que realmente te faz pensar e criticar a forma como você tem vivido sua vida.

  • Ultimate Journey

Lista de livros que li na viagem
“Ultimate Journey”, de Richard Bernstein

Eu, infelizmente, não terminei de ler esse. Até hoje eu não faço ideia do que aconteceu com esse livro, que eu estava amando. 

No meu último dia em Barcelona eu fui almoçar no airbnb de uns amigos e quando eu desci pra pegar o uber, percebi que o livro que estava na minha mão tinha sumido.

Eu achei que tinha ficado no apartamento, ou caído no caminho. Mas ninguém encontrou o livro, e tem UMA FOTO em que eu apareço com ele na mão, ou seja, tudo é muito misterioso.

Mas, de qualquer forma, essa história é incrível e inspiradora. Tem bastante informação sobre a cultura budista e sobre a filosofia oriental.

A história é verdadeira, e o escritor é o protagonista. Ele vai pra China pra fazer uma jornada que um monge tinha feito até a India e depois voltando para a China.

É bem longo e a quantidade de informações (ele é bem descritivo), às vezes cansa. Mas te prometo que esse livro vai ser um dos melhores que você vai ler sobre o Oriente.

  • O Poder

Lista de livros que li na viagem
“O Poder”, de Naomi Alderman

Ok, lembra que eu mencionei uma lista de “3 melhores livros que li na viagem”? Então, esse livro aqui e o próximo são os 2 outros livros dessa lista.

Eu encontrei esse livro em um hostel em Moscou, e eu fiquei muito fascinada porque assim que abri uma nota fiscal caiu. O livro tinha sido comprado em Londres, um anos antes. Não sei porque, mas eu fiquei fascinada em tentar pensar na pessoa que tinha comprado esse livro no aeroporto em Londres e o tinha deixado na Rússia.

Quando li a sinopse achei a história quase rídicula. Afinal, o autora cria uma ficção científica em que mulheres são capazes de emitir eletricidade, como se fossem enguias. Isso estabelece uma nova organização da sociedade, em que as mulheres começam a, de fato, derrotar o patriarcado.

No entanto, a sede pelo poder faz com que os mesmos erros do patriarcado sejam repetidos. E é por isso que gostei tanto do livro.

Eu não quero dar spoiler nenhum, mas recomendo muito. A escrita é maravilhosa! Eu lia até andando! Você realmente não consegue parar de ler.

  • Zen e a manutenção de motocicletas

Lista de livros que li na viagem
“Zen e a arte de manutenção de motocicletas”, de Robert M. Pirsig

Eu quase não comprei esse livro. Estávamos na Itália e eu queria um livro pra ler na praia, mas na livraria nenhum chamou minha atenção.

Quando a gente já estava saindo da livraria decidi dar uma olhada de novo, e encontrei esse livro.

Gente, esse é o melhor livro que eu li na viagem!

Pra quem ama filosofia, esse livro é uma obra prima. É como se fosse um “Diário de Sofia”, mas bem mais profundo, ideal pra quem já tem um conhecimento básico da história da filosofia e dos pensamentos filosóficos que fundaram o pensamento racional que conhecemos (e exaltamos) hoje.

Eu já estou relendo ele, porque quero “sugar” mais ainda dessa obra incrível.

Quando você começar a ler, não se assuste nem desanime quando vierem trechos cansativos sobre motos e sobre peças e sobre mecânica. O autor só utiliza desses termos para fazer analogias e tecer metáforas que mais tarde farão sentido.

Então não desista nas primeiras 100 páginas. Depois delas tudo flui bem melhor.

Além disso, a história é sobre um pai e um filho viajando pelos EUA de moto. Então também tem alguns pontos sobre viagem, sobre fazer diferente, sobre explorar, que são muito interessantes e inspiradores.

Meu sonho é que todo mundo leia esse livro, sério.

Ler nos faz viajar para longe e viajar para dentro

Então, eu acho que ler durante uma viagem (principalmente se ela for uma viagem com um propósito maior) é muito importante.

Eu sempre acreditei no poder da leitura, e me apaixonei por viajar sem precisar sair de casa, só abrindo um livro.

E se você ainda não puder viajar, de fato, você sempre tem a possibilidade de viajar através da leitura. E encontrar nas palavras de outro autor algo de impactante para mudar sua vida ou sua visão de mundo.

Por isso, leia e leia MUITO!

E me deixem dicas de livros também!

 

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *