O que levar no mochilão pelo Sudeste Asiático: um guia para mochileiras

Encarar um mochilão sozinha não é fácil. E decidir o que levar no mochilão é uma das partes mais estressantes da preparação.

Lembro que fiquei dias pesquisando se devia usar mochila ou mala, o que levar, e o que não era necessário (afinal o orçamento era bem curto). Hoje, depois de quase 7 meses viajando sozinha posso finalmente compartilhar com vocês minhas conclusões.

Passei bastante perrengue e precisei me desapegar muito das coisas. Fiquei tanto tempo vendo as mesmas roupas que chegou uma hora que queria tacar fogo em tudo. Mesmo assim, aprendi a dar muito valor ao minimalismo e às pequenas coisas. O guarda-roupa cheio que um dia foi meu hoje é uma memória que não faz muito sentido.

Fui com uma mochila pesando 9kgs e voltei com 12 kgs. Não faço ideia do porque. Eu não comprei quase nada e ainda perdi muita coisa. E desde já quero te tranquilizar: você vai encontrar praticamente tudo em praticamente todos os lugares. Principalmente em destinos mais comuns e ocidentalizados, como na Tailândia e em Bali.

Então relaxa, lê esse post, faça sua listinha e vai na fé. Se você esquecer algo, há 99% de chance de encontrar esse algo na 7eleven.

Mas primeiro, antes de entrarmos na checklist, vou te dar o veredito do meu (e nosso)eterno questionamento quanto usar um mochilão ou uma mala de rodinhas no Sudeste Asiático.

Mochilão ou mala de rodinhas?

Essa dúvida me perturbou por muito tempo. No meu mochilão pela Europa levei uma mala de rodinhas daquelas bem pequenas, de mão. Eu não só fui muito feliz com ela, como sofri bem menos que a minha amiga que estava com mochila. Como andávamos muito, ela sofria bastante carregando todo aquele peso, enquanto eu só puxava a minha malinha, bem plena.

Só que viajar pro Sudeste Asiático é bem diferente que ir para Europa, e isso afeta o tipo de bagagem que você deve levar. Nos países do sudeste asiático as calçadas são raras e, quando existentes, precárias. O transporte envolve barcos e subir e descer deles com uma mochila é bem mais fácil que com uma mochila de rodinhas.

Mesmo assim, precisei ouvir de todos os meus amigos que já haviam feito uma viagem para o sudeste asiático que eu tinha que usar um mochilão pra eu finalmente me convencer. Confesso que antes de viajar ainda estava um pouco indecisa, mas comprei o bendito mochilão e posso dizer agora, depois de tantos perrengues que foi a melhor das escolhas!

Viajar sozinha pela Ásia com um mochilão evitou muitos problemas que uma mala traria. Na Indonésia, Filipinas e Tailândia tive que pegar barquinhos minúsculos para ir de uma ilha a outra, e em Bali nenhuma rua tinha calçada e o meu transporte principal era por scooter, imagina se eu tivesse levado uma mala enorme!

Meu conselho para você que está indecisa: conheça seu destino e, a partir disso, pese na balança qual traria mais facilidade e conforto à sua viagem. Se você for para países pavimentados, com calçadas e poucos trajetos “inusitados”, eu sugeriria usar uma malinha de mão com rodinhas. Agora, se os países forem como os do sudeste asiático, vá de mochilão.

Escolhendo o mochilão

Esse é um ponto muito importante. Uma boa mochila vai te poupar muita dor de cabeça, e um bom encaixe vai evitar que você se torne uma corcunda.

Antes mesmo de começar a pesquisar, eu sabia que tinha um atributo que a minha mochila precisava ter: abertura frontal. Aprendi vendo minha amiga sofrer que aquela abertura estilo “saco” (por cima) dificulta muito a viagem: você nunca encontra nada, toda vez que você tira alguma coisa de dentro acaba bagunçando a mochila toda, enfim, torna tudo muito mais complicado do que precisa ser.

Já a abertura frontal permite que você acesse suas coisas diretamente, como se estivesse abrindo uma mala. Além disso, é muito mais segura, porque você pode colocar um cadeado impedindo a abertura.

Além da abertura frontal, eu também queria uma mochila que não fosse gigantesca (porque eu sou bem pequena) e que tivesse vários “bolsos” porque costumo acumular várias “tranqueiras”.

Então, quando eu encontrei minha mochila na Decathlon foi tipo amor à primeira vista. A cor laranja me conquistou de primeira, a abertura frontal me ganhou e o preço (R$349.99) fechou o negócio. Voce pode encontrar ela aqui.

 

o que levar mochilão sozinha Ásia

Eu escolhi uma 60L, que pode ser considerado um tamanho médio. Confesso que às vezes senti que devia ter comprado uma maior, mas no final das contas acho que foi uma ótima escolha, porque nunca estava pesada demais para eu conseguir andar longas distâncias e me impediu de comprar várias coisas desnecessárias que teriam acabado com meu orçamento.

Só entenda que levar uma mochila média vai te obrigar a levar bem menos coisas. Até hoje acho que escolhi o tamanho ideal para mim. E aprendi a viver com 9kgs de pertences.

O que levar

 

O que levar no mochilão para o Sudeste Asiático
Minha mochila e tudo que levei. Sim. Só isso.

Decidir o que levar é muito difícil, de verdade. Você tem que praticar o desapego num nível bem pesado. Pra mim foi relativamente mais fácil porque eu já uso mais ou menos as mesmas roupas todos os dias, e mesmo tendo mais que 5 peças de roupa acabo sempre repetindo as mesmas.

Mesmo assim, depois de uns 4 meses usando as mesmas coisas eu só queria tacar fogo em tudo. Sem contar que fica tudo encardido, manchado, rasgado, e algumas roupas encolhem por causa das inúmeras secadoras que você vai usar (Bali me fez quase perder TODOS os meus shorts por causa disso). Mas isso é ótimo porque te mostra como essas coisas, no fim do dia, não importam.

Na viagem toda devo ter comprado só umas 6 peças de roupa, isso porque perdi 2 shorts de yoga, três calcinhas e um biquini.

Mesmo sendo possível encontrar quase tudo em praticamente todos os lugares, é chatão ter que gastar dinheiro com coisas que voce podia ter levado de casa, ou que no Brasil custam bem menos. Além de ser muito chato perder seu tempo procurando por lojas e tentando entender os rótulos.

Então recomendo que você faça um “checklist” de tudo que você precisa levar. Se você tiver preguiça pode usar esse app aqui, que faz por você, ou pode usar a minha lista:

  • PRIMEIROS SOCORROS

Até quando vou pros EUA me perco toda na hora de comprar remédio, até os mais simples, então imagina em países como a Tailândia e as Filipinas! Então acho muito importante você levar os medicamentos básicos, para os casos de emergência (eu tive vários), e aqueles que você já sabe que funciona, eu levei o seguinte:

    – Band aid
    – Anti alérgico (levei o Loratamed)
    – Buscopan
    – Estomazil
    – Floratil (muito importante pro sudeste asiático, as chances de pegar uma intoxicação alimentar por lá é bem grande)
    – Imosec (idem)
    – Dramin (pros voos, viagens de barco…)
    – Neosaldina (o único que alivia minha enxaqueca, levei muitos e usei quase todos)
    – Bepantol
    – Resfenol (acabou na primeira semana hahaha, devia ter levado mais)
    – Repelente (recomendaram que eu comprasse um pequeno para comprar um grande lá, já que a composição é diferente e mais específica para os mosquitinhos asiáticos, comprei todos os possíveis, mas em Palawan servi de comida pra mosquito mesmo assim)
    – Merthiolate
    – Epiduo (salva minha pele, acaba com qualquer espinha de uma noite pra outra)
  • HIGIENE PESSOAL & afins

Aqui se encaixam todos os produtos de farmácia que a gente precisa pra sobreviver:

    – Desodorante
    – Escova de dente
    – Pasta de dente
    – Protetor solar
    – Manteiga de cacau
    – Shampoo e condicionador
    – Gilette com refil de lâmina
    – Sabonete de rosto
    – Sabonete com caixinha
    – Ladycup (ou O.B.) – MUITO IMPORTANTE! Nas Filipinas foi muito difícil de achar e na Grécia custou 6 euros (30 reais)
    – Camisinhas (MUITO IMPORTANTE meninas! Ninguém quer ter consequências desagradáveis numa viagem que é pra ser só felicidade)
    – Lenços demaquilantes
    – Kit com cortador, alicate e pinça
    – lixa de unha
  • EXTRAS ESSENCIAIS

Um mochilão é uma viagem muito diferente das outras, principalmente porque envolve dormir em quartos com várias pessoas, dividir banheiro, entre outros, então tem algumas coisinhas que você precisa levar:

    – Cadeados (sou a louca do cadeado, levei 4, pra fechar os lockers nos hostels, o mochilão, a mochila de mão… usei todos e sempre me pediam emprestado)
    – Garrafa d’água (quando tiverem bebedouros você já economiza uma grana que seria usada pra comprar água, e ajuda o meio ambiente)
    – Toalhas de microfibra (muito importante! Secam muito rápido, não ocupam muito espaço no mochilão, é só alegria! Levei uma de rosto e uma de corpo que comprei na Decatlhon, paguei menos de R$50 pelas duas)
    – Capa de chuva (não levei, tomei muita chuva, fiquei doente, foi top)
    – Conversor universal (pelo amor de Deus, leva)
    – Lanterna pequena
    – Sacos plásticos e sacos para guardar as roupas à vácuo (muito útil)
    – Canivete (USEI MUITO!! O tempo todo você precisa de um saca-rolha, de uma faca, uma tesoura, uma lixa…)
    – Carregadores em geral (celular, câmera, laptop…)
  • ROUPAS

Finalmente, as roupas:

    – 4 blusas de manga curta
    – 2 shorts jeans
    – 1 legging
    – 2 shorts de academia
    – 2 calças jeans
    – Biquinis
    – Meias
    – Chinelo (perdi na segunda semana)
    – All star
    – Tênis de corrida
    – 1 casaco
    – Boné
    – Calcinhas
    – 1 jaqueta
    – 1 body arrumadinho
    – 1 shortinho arrumadinho

 

E se você esquecer algo?

Acredito que uma das partes mais divertidas de viajar sozinha é começar a organizar tudo pra viagem. Mas também lembro que foi muito estressante decidir o que levar sem saber de fato o que era necessário.

Pesquisei muito, assisti mil vídeos no youtube e mesmo assim fui com muito medo de ter esquecido coisas imprescindíveis. Só que chegando nos países percebi que tinha praticamente tudo que eu precisava à venda, então não precisa surtar, mesmo se você esquecer algo, muito provavelmente vai encontrar na viagem (7 elevens vão te salvar muito, vai por mim).

Hoje, já quase terminando a viagem, às vezes me canso com o “faz mala desfaz mala”, mas sou muito grata e apegada com minha mochila. Ela já me serviu de travesseiro, de proteção, e mesmo agora, toda sujinha e maltratada, acho ela muito linda e um símbolo da minha aventura. Me emociono só de falar nela.

Espero que tenha ajudado e que, independentemente do que vocês escolherem levar, tenham uma ótima experiência, como eu tive. Viajar sozinha é libertador e nos ajuda a crescer muito, assim como nos desafiar a sermos cada dia melhores.

Tentei deixar o post o mais simples, direto e completo possivel, mas se ainda tiverem dúvida, podem deixar nos comentarios, ou me contatar por aqui ou pelo instagram que tentarei responder o mais rápido possível.

Até o próximo post!

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *