Os melhores hostels em que já fiquei na vida

Muita gente pensa que hostel é sinônimo de perrengues, banheiros comuns sujinhos, etc. Mas eu tenho uma ótima notícia pra quem está com medo de se hospedar em um albergue: muitos deles são incríveis! Tanto é que quase todos os hostels em que fiquei foram ótimos, os ruins foram a exceção. Pra provar pra vocês, aqui vai a lista dos melhores hostels que já fiquei na vida.

Pra montar essa lista não considerei só as mordomias. Considerei também segurança, limpeza, e o atendimento. Quando você está longe de casa, num país super diferente, essas qualidades são cruciais, muitas vezes até mais importantes que cabines super equipadas e bibliotecas incríveis.

Por último, coloquei os valores em dólar porque o preço varia muito a depender da cotação, então achei melhor assim. Agora, sem mais delongas, bora pra lista.

Nordzee Hostel (Oslob, Filipinas)

17 USD a diária.

No meu post sobre as Filipinas exaltei esse hostel maravilhoso, e como fiquei chocada quando cheguei e dei de cara com a vista mais bonita do mundo da janela do dormitório.

Melhores hostels Filipinas
Vista do quarto no Nordzee

O Nordzee oferece dois tipos de dormitórios: com ar e sem. Além disso, oferece também essas tendas privativas pra quem quiser dormir na praia, mas evite ficar nelas. Não só são mais caras que os dormitórios, como não têm ar-condicionado, então você vai fritar lá dentro.

Os banheiros dos quartos com ar deixam a desejar. Não têm box e o chuveiro fica praticamente em cima da privada, cada vez que uma pessoa toma banho o banheiro fica inundado. Pelo menos a limpeza é frequente, então eu nunca encontrei o banheiro em condições inutilizáveis. Já os banheiros dos dormitórios do piso superior são melhores: ficam fora do quarto e são novinhos.

O grande atrativo do Nordzee é, sem dúvida, a praia. O hostel tem uma praia privativa para os hóspedes, com caminhas de sol pra você passar o dia sem fazer nada só curtindo a beleza natural das Filipinas.

Eles ainda oferecem bar com preços super acessíveis, piscina, restaurante com opções veganas, e uma soundtrack incrível (dá pra seguir eles no spotify, inclusive).

O dono vive por lá, e você se sente super bem vindo. Além disso, eles estão sempre melhorando o espaço, quando eu estava lá eles estavam construindo um spa com jacuzzi!!

Hostel em Oslob

Por fim, vale a pena exaltar a localização e a segurança do Nordzee. Ele fica super perto das principais atrações de Oslob e conta com dois seguranças armados que cuidam do espaço, a única coisa chata é que eles não têm dormitórios só para mulheres. Mas o espaço é super sociável e fiz amigos pra vida toda lá! Indico de olhos fechados.

The Bed KLCC (Kuala Lumpur, Malásia)

16 USD a diária 

Fiquei por uma noite só nesse hostel no coração de Kuala Lumpur, mas já foi o suficiente pra me apaixonar. Eu estava vindo de um mês em Bali ficando em homestays sem luxo algum e tinha até esquecido de como era dormir num lugar super confortável.

Os quartos são super hiper espaçosos o que, junto com as camas estilo “cabine”, confere uma privacidade de outro mundo! Você pode se fechar no seu casulo e curtir o silêncio numa boa. Eu dormi que nem um bebê (até perdi o voo).

Melhores Hostels Malásia
foto do dormitório incrível
Melhores Hostels Malásia
as cabines são assim, super fofas, com uma iluminação agradável e muito confortável.

Outro ponto altíssimo desse hostel é o banheiro lindo, limpo e super bem equipado. Desde secador de cabelo à ferro de passar roupa: eles oferecem tudo. Você nem precisa se preocupar com shampoo e condicionador, porque eles oferecem. Como se não bastasse, no valor da diária ainda está incluso um café da manhã no estilo buffet.

Melhores Hostels Malásia
Banheiro lindo e limpíssimo, o chuveiro é incrível também.

Outro ponto que eu amei foi o fato de eles terem uma biblioteca enorme à disposição dos hóspedes, encontrei até livros em português! E se você tiver um livro com você, pode trocar por um dos deles. Eu fiquei apaixonada!

Na mesma área da biblioteca ainda tem um espaço de socialização com lareira, bar, e restaurante. Como fiquei uma noite só não tenho como dar minha opinião sobre a vibe do lugar para quem quer fazer amigos, mas posso dizer que, com certeza, é um ótimo hostel pra quem quer conforto e praticidade. Ele fica pertinho das atrações principais de KL.

Melhores Hostels Malásia
nada como uma boa biblioteca

Lullaby Hostel (Chiang Mai, Tailândia)

11 USD a diária 

No meu post sobre Chiang Mai eu exaltei esse hino de hostel. Foi uma amiga canadense que me indicou. Foi tão incrível que acabei estendendo minha estadia de 2 noites pra 6.

Hostel em Chiang Mai
A fachada já é super fofa

 

O hostel fica super bem localizado, a uma quadra de uma das principais ruas de Chiang Mai, na Old City, e eles oferecem bicicletas fofinhas caso você queira explorar a cidade (eles inclusive recomendam que você faça isso no seu primeiro dia, pra se familiarizar com os arredores).

Hostel em Chiang Mai
Bicicletas fofinhas pra você desbravar Chiang Mai

Eu acredito que o que transforma um lugar em um lar, ou algo próximo disso, é a “energia” que você sente quando está lá. E a energia do Lullaby é incrível. Eu me senti realmente em casa. As pessoas que trabalham lá fazem de tudo para serem mais do que agradáveis e estão sempre disponiveis pra ajudar, conversar, e explicar sobre a cidade.

Outra parte incrível do Lullaby é o fato de os quartos serem maravilhosos: super escuros, com ar condicionados novos e muito eficientes e camas que mais parecem de hotel que de hostel (incluindo aquele edredom super delicioso).

Hostel em Chiang Mai

Por fim, o hostel ainda organiza muitos eventos para ajudar os hóspedes a socializarem. Em algumas noites é possível cozinhar seu próprio jantar (tem opções veganas e vegetarianas), aulas de yoga gratuitas… Fiz amigos pro resto da vida lá!

HOP Hostel

17 USD a diária 

OK, esse hostel está empatado em primeiro lugar com o próximo da lista. O HOP foi uma das experiências mais maravilhosas da minha viagem, e tenho certeza que foi o responsável por eu ter amado tanto Coron. É um hostel que mora no meu coração.

hostel em Coron
fachada do HOP, no alto de um morrinho em Coron

O HOP é especial por várias razões. Mas a principal é o fato de ser um hostel extremamente sociável. Se você está viajando sozinha, lá é o melhor lugar pra fazer amizades.

Todos os dias da semana têm uma atração especial exclusiva para hóspedes. Desde observação de vagalumes a pôr-do-sol em barco pirata, o HOP se esforça muito pra oferecer atividades incríveis e que realmente possibilitam a interação.

Além disso, a estrutura é incrível! O café da manhã é incluso, a la carte e com opções veganas (tem até tofu mexido!) e a vista do refeitório é linda.

Hostel em Coron
nada mal né?

Eles ainda têm espaços em comum surreais, como o rooftop (as bebidas são deliciosas), o cinema, e a sala de jogos.

 

Como se tudo isso não bastasse, os quartos tem beliches com camas de casal! Sim, você leu direito. Eu nunca tinha visto algo assim na vida, lá foi a primeira vez.

Então você paga um valor de hostel, mas recebe uma cama de hotel, com privacidade e conforto. E o ar condicionado funciona muito bem. Enfim, é perfeito.

Hostel em Coron
Apenas babe no tamanho dessas camas

Eu indico o HOP de olhos fechados. Você vai ter uma experiência incrível por lá, tenho certeza.

Soul Kitchen

10 USD a diária 

Empatado com o HOP está o hostel mais fofo que já fiquei: o Soul Kitchen, em São Petersburgo. Não por acaso, foi eleito o melhor hostel na Rússia.

Hostel em São Petersburgo
não é o hostel mais fofo que você já viu na vida?

Eu fui surpreendida pela localização, pelo staff, pelas comodidades, pelo preço… Mas principalmente pela vista incrível da sacada, para um dos rios que passam pela cidade.

hostel em São Petersburgo
todo pôr do sol era espetacular

O pessoal que trabalha por lá é incrível! Sabe aquele esteriótipo russo, de pessoas frias e distantes? Então, o pessoal do Soul Kitchen não é nada disso (pra falar a verdade, em São Petersburgo quase ninguém era assim).

Eles não só falam um ótimo inglês (um diferencial na Rússia), como se desdobram pra atender bem os hóspedes. A recepção é 24 horas e sempre tem alguém acordado pra te ajudar. Todas as noites um deles vai pra cozinha preparar algo e todo mundo pode ajudar e comer de graça! Ah, as refeições são sempre vegetarianas e, se você pedir, podem ser veganas também!

O hostel em São Petersburgo é todo fofo

E a cozinha é fofíssima! Na verdade, o hostel inteiro tem uma pegada histórica e fofa.

O prédio é tombado pela Unesco, como todos os outros no centro de São Petersburgo. Por isso, não tem nenhum ar condicionado. Eu sei que isso pode soar terrível (eu sou viciada em ar condicionado), mas prometo que você não vai passar calor e vai acabar esquecendo desse detalhe.

hostel em São Petersburgo
o dormitório é muito fofo, parece casa de boneca!

Já o banheiro é uma atração a parte. Sério. Cada cabine com vaso sanitário tem revistas, papéis pra colorir (juro), e tem a trilha sonora de música clássica russa pra você ter certeza que ninguém tá ouvindo o que tá rolando lá dentro (tenho provas salvas no meu stories do insta).

Eu amei tanto o Soul Kitchen que acabei ficando lá por 10 noites. Inclusive, eles viraram minha família, de verdade, então eu recomendo de coração. Você vai se sentir em casa, mesmo longe de casa.

Hostel São Petersburgo
sala fofíssima com telão de cinema e poltronas delícia

Ah, e eles oferecem tudo que você pode precisar: ferro de passar, secador, conversor… A localização é incrível, super segura e perto de tudo, inclusive do metrô. E se você sentir que só quer ficar de boa, ou fugir do inverno russo, eles têm joguinhos, cinema, cozinha, computadores, e você com certeza vai acabar fazendo amizades incríveis (eu fiz várias!).

Portanto, se você for pra Rússia, não perca a oportunidade de ficar no Soul Kitchen, sério. Eu já estou louca pra voltar.

O mundo está cheio de hostels incríveis

Sério, às vezes tenho vontade de ir pra uma cidade só pra conhecer algum hostel incrível que tenha visto.

O segredo pra encontrar os melhores hostels é pesquisar muito. Na Europa e Américas eu recomendo o Hostelworld, mas na Ásia inteira eu recomendo 100% o Agoda.

Ah, eu já encontrei um hostel no Airbnb, quando estava em Atenas, então vale a pena dar uma fuçada lá também.

Mas, pra ser sincera, a melhor forma de descobrir jóias escondidas é conhecendo gente durante o mochilão. Outros mochileiros sempre podem te dar dicas mais seguras que as que você vai encontrar na internet.

O mais importante é o seguinte: não tenha medo de ficar em hostels! É super legal e uma ótima forma de fazer amigos. E, se você tomar as precauções certas, é super seguro!

E você? Quais os hostels mais incríveis em que você já ficou?

 

 

You may also like

2 Comentários

  1. oi, to adorando seu blog tem me ajudado muito.
    queria saber se você pode fazer um post ou até mesmo responder por aqui algumas duvidas que tenho, to preparando meu mochilão pro meio do ano pra asia também e no meio disso tudo me surgiu umas duvidas ficaria muito feliz se voce responde se me ajudaria muito.
    como por exemplo se você deixava o mochilão nos hostel se é seguro.
    se o dinheiro que você programou pra levar faltou o sobrou deu certinho
    e quanto tempo você ficou e quanto mais o menos de dinheiro deu toda a viagem incluindo passagens essas coisas e se você levou todo o dinheiro contigo ou em cartão
    e o tipo de visto que você pegou se foi muito dificil
    aaah e se você precisou ir ao medico essas coisas basicas

    1. Oi Daiane! Que bom que vc tá gostando!
      Eu to terminando hoje um post sobre planejamento de mochilão onde vou falar um pouco sobre esses assuntos… mas já te respondo agora mesmo!

      Eu deixava o mochilão no hostel sim! A maioria deles tinha locker (armário), alguns com cadeado próprio e outros não, por esse motivo levei literalmente 5 cadeados 😂 Eu trancava tanto a porta do armário quanto colocava entre os zípers do mochilão pra não conseguirem abrir. Levei laptop e dinheiro e nunca fui roubada!

      O dinheiro sobrou, mas bem pouco. Eu tive ainda o problema de ter sido vítima de fraude em Bali e levaram todo meu dinheiro, fiquei uma semana até eles devolverem… por isso eu sugiro sempre ter um plano B (um segundo cartão, um familiar pra te mandar um dinheiro caso precise…).

      Olha eu não fiz ainda o cálculo do total que gastei incluindo passagem, vou fazer e postar num outro post que estou fazendo sobre economizar pra viajar.

      Eu levei a maior parte no cartão! Quase todos os lugares aceitavam ou visa ou master, e dava pra sacar na moeda, então achei ótimo desse jeito.

      Por último, quase todos os países que eu fui não precisava de visto, e os que precisavam era do tipo “Visa upon arrival”, o que significa que a alfândega emite pra você na hora que você chega no país. Agora, quase todos pedem o certificado de vacina da febre amarela, então não saia do Brasil sem esse documento!

      Espero que tenha ajudado 🙂 qualquer coisa pode perguntar! Beijoss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *