São Petersburgo: um guia de viagem completo e alternativo

São Petersburgo

Fui parar na Rússia meio que sem querer, apesar de ter o sonho de ir. Sou completamente apaixonada por Dostoievski, então São Petersburgo sempre esteve na minha lista de destinos dos sonhos.

Mas eu não imaginava que iria conseguir visitar a Rússia nessa viagem, até porque o foco tinha sido a Ásia e países mais baratos. Com toda a questão da copa do mundo, eu tinha certeza que visitar a Rússia seria mais caro do que eu podia arcar nesse momento. 

Eu estava bem enganada. São Petersburgo foi um dos lugares mais baratos que passei na viagem e consegui ter um dia-a-dia cheio de história, visita a pontos turísticos, comendo super bem e gastando muito pouco. 

Tudo bem que cheguei por lá logo depois da copa, quando os preços já tinham caído bastante. Mas eu jamais esperava que seria tão barato. 

Comprei a passagem num ímpeto quando achei uma promoção no skyscanner. Então foi só mais tarde que a “ficha caiu” e eu comecei a pesquisar desesperadamente dicas (principalmente de segurança). 

Não achei quase nenhum guia com dicas pra mulheres, e eu já tinha ouvido que a Rússia era um destino perigoso. Então, acho que esse guia vai ajudar bastante as mulheres e quem mais estiver pensando em visitar São Petersburgo. 

Sobre São Petersburgo 

São Petersburgo é conhecida como a porta de entrada da Rússia para o mundo. Principalmente para o “mundo” europeu. E logo que você chega lá, dá pra entender o porquê. 

A cidade parece saída de um sonho. Ou de um filme fantástico do tipo Anna Karenina. As ruas são lindas, a arquitetura é majestosa e tudo parece muito organizado. 

Pra colocar em palavras mais poéticas, São Petersburgo tem uma vibe tão singular que é impossível não se sentir diferente logo nos seus primeiros segundos na cidade. Como diria Dostoyevski: 

“Raramente se encontra um local com tantas influências intensas e estranhas na alma humana como São Petersburgo”.

E, ainda mais surpreendente é o fato de que a cidade tem uma população bem jovem, o que torna as ruas extremamente vivas e alegres, o dia e a noite inteiros. 

Lá encontrei muitos amigos. E encontrei pessoas muito parecidas comigo. Várias opções de restaurantes veganos, galerias de arte, shows alternativos… 

Me apaixonei tanto por São Petersburgo que se não fosse tão frio me mudaria pra lá em um piscar de olhos. 

Como chegar em São Petersburgo 

Se você estiver indo do Brasil a resposta é: em um voo muito, mas muito longo. 

Pra encontrar passagens baratas eu sugiro sempre usar o Skyscanner e assinar as notificações do passagens imperdíveis.

Foi assim que eu encontrei uma passagem por R$320 para São Petersburgo. Estava em Girona, na Espanha, sem a menor ideia de pra onde ir depois e usei a função “everywhere” do skyscanner. Acabei descobrindo que o destino mais barato era a Rússia.  

O voo foi super rápido e pela Pobeda, uma companhia aérea Low cost russa que tem preços ótimos. 

Transporte do aeroporto para o centro de São Petersburgo

Ir para e voltar do aeroporto é muito tranquilo e barato. O transporte público é incrível, então você pode usar e abusar dele sem medo.

Pra chegar no centro de São Petersburgo você pode pegar o ônibus 39 ou 39A. É só seguir as placas do aeroporto, que te indicam onde fica o ponto de ônibus (bem na frente da saída do aeroporto). 

Esses dois ônibus vão te deixar numa estação de metrô bem central:  a Moskovskaya. De lá você pode pegar um metrô pra aérea mais próxima do seu hostel. 

O preço é muito tranqüilo. Os ônibus e o metrô saem por volta de 40 rublos (R$2,60). Então é ótimo pro orçamento de quem estiver mochilando. 

Sobre o metrô de São Petersburgo 

Algo que todo mundo vai te falar e que é 100% verdadeiro, é que pouquíssimas informações estão em inglês na Rússia.

Eu fui logo depois das olimpíadas e posso dizer que a maioria dos sinais e placas continuam em russo (alguns em sânscrito tá? O que é bem pior). Por isso, mesmo em letras “normais”, entender o mapa do metrô é bem complicado. 

Mas depois de um tempo você se acostuma um pouco, e reconhece com mais facilidade nomes. Pra te ajudar a já ir se familiarizando, aqui vai um mapa do metrô de São Petersburgo:

Guia de viagem São Petersburgo
Bem facinho de entender né?

Logo que eu cheguei fiquei bem confusa com a maquininha que vendia os cartões de metrô. Ainda cometi o erro ridículo de já comprar de cara um cartão para 10 viagens que dura 3 dias, sem saber se ia precisar ou não. 

Resultado: não usei nem 1/3 das viagens do cartão, porque andava de um lado para o outro a pé ou de bicicleta. Gastei 345 rublos (R$19) sem necessidade (desses 345 consegui 60 de volta, porque eles reembolsam).

Então, sugiro que você compre a entradinha individual, que é uma moedinha fofa old school, porque você vai conseguir andar bastante (isso no verão né, no inverno eu já acho que grande parte do transporte vai ser por metrô). 

Detalhes que me fizeram preferir andar:

Algumas estações de metrô são completamente fechadas e você só consegue enxergar o espacinho das portas. Então saber em qual estação você está requer muita atenção (nada de ficar no celular perdidona) e é bem ruim pra quem é claustrofóbica como eu. 

Metrô em São Petersburgo
Sim, essa é a porta do trem do metrô. Só abre quando o trem chega. Dá muita claustrofobia.

Entender o que a mulher fala no viva voz também é quase impossível. Por isso, nem conte com isso. 

Além disso, as estações de metrô em São Petersburgo são no centro da Terra. Juro, você vai andar muito dentro delas, e pegar escadas rolantes que vão parecer infinitas. 

Então se você tiver horário, considere o tempo que vai gastar andando dentro da estação. Porque mesmo sendo o meio de transporte mais rápido, às vezes essa distância aumenta bastante o tempo do percurso. 

Mesmo assim, usar metrô pelo menos uma vez é uma obrigação pra quem visita São Petersburgo. As estações são muito lindas. São atrações obrigatórias, e uma é mais maravilhosa que a outra.

Então reserve um tempo pra curtir a arquitetura e prestar atenção nos detalhes. O que era pra ser transporte vai acabar se tornando uma das coisas mais legais que você vai fazer por lá.

Andar de táxi em São Petersburgo

Não recomendo andar de táxi. Os motoristas em geral não falam em inglês, e vai ser bem difícil ter uma noção de valores e de onde estão te levando. O melhor é usar o uber. 

Andar de uber em São Petersburgo é bem barato. Mas o problema da língua permanece, então se o motorista precisar te ligar pra alguma coisa, vocês não vão se entender. 

Sabendo disso, alguns motoristas aplicam um golpe recorrente (aconteceu comigo em Moscou, mas soube que rola em SP também). O motorista te diz, em mímica ou com um inglês muito ruim, que aconteceu algum erro no pagamento. Então eles pedem pra que você deposite o valor na conta deles ou compre créditos pra um número de celular com o valor da corrida. 

Se você recebeu o recibo certinho da uber, apenas ignore e siga sua vida. Rola até falar “ok, pode deixar”, pra não deixar o motorista bravo e evitar bate boca. Mas não compre os créditos ou deposite o valor. 

Além do uber, você também pode usar um app chamado Gett. É basicamente igual ao uber, mas percebi que geralmente encontrava motoristas bem mais rápido e oferecia uns preços melhores. 

Onde ficar em São Petersburgo

Eu estava louca pra escrever esse post só pra poder falar sobre o Soul Kitchen Hostel. Gente, sério, foi o melhor hostel que eu fiquei na vida e foi eleito o melhor hostel médio do mundo pelo Hostelworld.

Eu reservei só 2 noites, porque nem sabia se ia gostar da Rússia ou do hostel (principalmente porque não tinha ar condicionado), e acabei estendendo a minha estadia pra 10 noites. 

O Soul Kitchen é, com certeza, o hostel mais fofo em que eu já fiquei. Ele é todo decorado de uma forma meio retrô, cult e fofa. Os quartos são lindos, os banheiros também, e a cozinha é uma das mais lindas que eu já vi na vida: 

View this post on Instagram

Our kitchen in #soulkitchenhostel

A post shared by SOUL KITCHEN HOUSE (@soulkitchenhostel) on

Eu vou ter que escrever um post só sobre o Soul Kitchen, porque são MUITAS qualidades e várias coisas legais. 

Mas o melhor do SK é a equipe que trabalha por lá. Dá pra perceber que eles amam estar ali, e fazem tudo com muito amor. Eles estão sempre prontos a te dar dicas, ajudar você a traduzir algo ou reservar uma passagem, e todos os dias eles cozinham algum jantar vegetariano (muitas vezes tradicionalmente russo). 

Eu fiquei muito amiga de todos da equipe, e quando fui embora pra Moscou deixei um pedacinho do meu coração com eles. Quero muito voltar pra São Petersburgo e ficar mais um tempo hospedada lá. 

Só pra vocês terem uma ideia de como o hostel é irado:

O banheiro é todo em cabines, onde fica tocando ópera russa o dia inteiro, pra ninguém se sentir constrangido. E eles ainda colocam revistas e até papel pra colorir perto da privada.

Eles oferecem tudo que você imaginar, até tapete de yoga! Bicicletas, patinetes, secador de cabelo e ferro de passar roupa também estão à disposição e totalmente de graça.

Eles tem uma área de convívio muito legal, com computadores Mac disponíveis, com entradas até pra cartões de memória.

Toda noite tem jantar vegetariano, totalmente gratuito, e você ainda pode aprender e ajudar a fazer os pratos. Enquanto eu estava lá rolou massa, panqueca de cerveja, salada de batatas russa, sopa… Você não só come bem, como aprende a cozinhar e economiza muito. 

A varanda do hostel é a coisa mais linda e tem uma vista incrível. 

Hostel em São Petersburgo
Vista da varanda do Soul Kitchen

A equipe trabalha 24h, então se você precisar de ajuda de madrugada tem sempre alguém pra te ajudar.

Eles têm uma sala de cinema com sofás e pufes muito aconchegantes.

Eu poderia escrever mais um milhão de razões, e vou fazer isso num post dedicado inteiramente ao Soul Kitchen. Mas já queria convencer você agora de ficar por lá. O preço é maravilhoso também: só R$38 a noite!

Atrações em São Petersburgo 

Como eu disse, fiquei 10 noites em São Petersburgo e mesmo assim não vi tudo que tinha pra ver. Acho que levaria uma vida inteira pra fazer isso. 

São Petersburgo respira cultura. E há todo tipo de cultura que você imaginar, arte moderna, arte clássica, ópera, balé, museus históricos, de guerra, que exaltam escritores russos, igrejas… A lista é infinita. 

A própria cidade é uma atração. Tanto é que os prédios centrais foram todos tombados pela UNESCO (por isso o Soul Kitchen não tem ar condicionado). Então andar por lá já é incrível, inclusive à noite, quando a cidade se transforma. 

Você pode montar um roteiro em São Petersburgo que atenda os seus gostos pessoais, já que ver tudo demandaria uma estadia bem mais longa. Eu vou compartilhar as atrações que eu decidi fazer, baseada nos meus gostos.

Eu tenho muito a agradecer à equipe do Soul Kitchen e ao Culture Trip por terem me indicado vários roteiros alternativos em São Petersburgo. Eu me apaixonei perdidamente pela cidade por causa deles.

Eu tentei focar bastante em arte contemporânea, veganismo, história e literatura. Então esse roteirinho vai focar muito mais nessas áreas:

Museu Erarta 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Gente, eu passei um dia inteiro andando por esse museu, e foi uma enxurrada de emoções. 

O Erarta é um museu de arte contemporânea, com obras que têm uma profunda crítica social. E eles proporcionam uma experiência, e não apenas uma exposição de materiais. 

Foi minha atração preferida, e o Erarta figura agora como meu museu preferido no mundo, posição antes ocupada pelo Kunsthaus Zurich . 

Eu ainda dei a sorte de visitar o museu durante a exposição temporária das esculturas de Salvador Dalí. 

Museu em São Petersburgo
Esculturas gigantescas do Dalí, incluindo o famoso “tempo dobrado”

Mas o que me chamou mais atenção foram as obras russas, de artistas que aqui no ocidente nunca ouvimos falar, mas que carregam uma história muito linda de luta pela liberdade. 

Outro fator incrível do Erarta é que, por ser menos conhecido, é bem mais vazio que outros museus (como o Hermitage, por exemplo). Então é possível observar com atenção, refletir, e até sentar no silêncio com as obras.

O museu fica afastado da área central de São Petersburgo, e pra chegar lá você pode usar o ônibus ou o metrô. No site deles as direções estão bem explicadinhas. 

O ingresso sai por 500 rublos (R$28), que é um preço praticamente irrisório considerando o que você vai viver lá dentro. 

Por favor, visitem o Erarta. Sério. 

Museu/Casa de Fiódor Dostoyevsky 

Essa é uma atração pra quem ama literatura russa, como eu.

Dostoyevsky é meu autor preferido. Sou apaixonada desde que coloquei minhas mãos em “Notas do subterrâneo” quando tinha 16 anos.

São Petersburgo é a cidade do coração de Dostoyevsky. Foi lá que ele viveu por muitos anos, onde morreu e onde está enterrado.

O museu que tem seu nome fica localizado no exato lugar em que ele morou nos seus últimos anos de vida. Foi lá que ele escreveu a sua famosa obra “Os Irmãos Karamazov”. 

A experiência foi muito emocionante pra mim. Caí no choro assim que cheguei no escritório dele, intacto e arrumado do mesmo jeito que estava quando ele morreu. 

Museu Dostoievski em São Petesburgo
Escritório do escritor, intacto.

Além da parte onde foi a morada de Dostoyevsky, existe um outro setor em que é possível acompanhar a história de vida dele a partir de fotos, objetos e obras. Por esse motivo, você tem que adquirir o guia em áudio. É a única forma de compreender mais sobre a história do autor e saber curiosidades sobre sua casa e o que ele viveu ali. 

Museu Dostoiévski em São Petesburgo
Área com fotos, objetos e publicações contando a história do autor

O ingresso custa 250 rublos (R$14), mas o de estudante sai por 100 rublos (R$5,50). A senhorinha da bilheteria me vendeu o de estudante por livre e espontânea vontade, mesmo depois de eu falar pra ela que não tinha documento de estudante.

O guia em áudio sai por 250 rublos também. 

O museu fica próximo da estação que leva o nome do autor, Dostoyevskaya, e é bem escondido, no final de uma escadinha pro subterrâneo. Bem no estilo dele. 

Museu Dostoievski em São Petersburgo
Entrada do Museu

Eu recomendo a visita até pra quem nunca ouviu falar de Dostoyevsky, porque a história do autor está intrinsecamente conectada com a história da Rússia, e compreender suas críticas é também compreender as razões que levaram aos acontecimentos históricos no país. 

Visitar o Loft Project

Fui parar no Loft Project procurando por um restaurante vegano. É uma instalação bem hipster, super legal. Lá você encontra várias lojas de roupas, de coisas inusitadas tipo bonecos de dragon ball z e um espaço gigantesco com balanços para adultos. Sim, você pode ir lá e usar um balanço.

Além disso, eles ainda têm um rooftop incrível. Você pode ficar lá bebendo um drink, comendo uma comidinha vegana (tem opções não veganas também), ou só aproveitando a vista. É muito incrível, eu fui lá umas 3 vezes.

Loft Project em São Petersburgo
Rooftop lindo super sociável

Fica numa rua super movimentada, chamada Ligovsky Avenue. Eu fui durante o verão, então tinham várias mesinhas de restaurantes  no rooftop e ao ar livre no primeiro andar. Não sei bem como funciona no inverno, mas o espaço interior também é bem incrível!

View this post on Instagram

⚡️Посетите выставку «Underground Images. Плакаты Школы изобразительных искусств в Нью-Йоркской подземке с 1947 до наших дней». Эта выставка представляет более шестидесяти плакатов из бесчисленного множества, созданных в SVA для распространения в Нью-Йоркском метро. Выставка представляет собой ретроспективный взгляд на историю Школы, показывает талант ее выпускников в области дизайна и иллюстрации. 📍Пятый этаж, вход 100 рублей.

A post shared by ЭТАЖИ /Лофт Проект ЭТАЖИ/ETAGI (@loftprojectetagi) on

A entrada é gratuita, e as roupas e acessórios não são caros, nem as comidas. O Horizontal,por exemplo, serve um hamburger veg delícia e bem baratinho. Ele é praticamente escondido: um quadradinho na parede.

Vale muito a pena visitar também pra sentir a juventude russa, que me surpreendeu muito. Eu esperava pessoas fechadas, conservadoras, quietas. Mas fui surpreendida por jovens ousados, com pensamento à frente do seu tempo e muito sociáveis (além de muito estilosos).

Museu de História Política da Rússia

A riqueza da história política Rússia é inegável e também superficialmente ensinada por aqui. Então é muito legal visitar o museu de história política e aprender um pouco mais.

O museu fica no prédio em que funcionava o comitê do Partido Bolchevique, comandado por Lênin. Inclusive, o escritório de Lênin está montado da mesma forma como era na época em que ele era vivo.

É um museu bem pesado. Não só por ser histórico e, por isso, demandar bastante leitura e atenção. Mas também porque trilha uma história que passa pelas atrocidades do governo tirânico de Stálin.

O museu oferece uma explicação bem detalhada dos períodos históricos da Rússia, e tem muitos itens de época, incluindo propagandas, uniformes, tecnologias…

Sugiro que você separe um dia inteiro para visitar o museu. Eu fiquei lá dentro por 3 horas.

Em 2018 eles exibiram coleção chamada “As mulheres e a Revolução”, sobre a participação feminina nas guerras e nas revoluções que ocorreram na Rússia. Fiquei chocada em saber que na Rússia que lutava contra o czarismo as mulheres já tinham participação ativa, inclusive no front.

Essa exibição incrível vai estar no museu até o dia 30 de dezembro.

O preço da entrada é de 250 rublos (R$14,00) e em alguns feriados a entrada é gratuita. Dá pra conferir as datas no site do museu.

O museu é bem vazio, então dá pra prestar bastante atenção, ler as explicações. Mas mesmo assim eu sugiro que você compre o guia em áudio, porque é muita coisa pra ler. O preço é de 250 rublos.

New Holland Island & The Bottle House

Mais um super aproveitamento urbano em São Petersburgo. Incrível de verdade.

A Ilha de “Nova Holanda” é bem pequena e fica no meio da cidade. Pertinho do centro.

Ali, foi feita uma revitalização com a criação de um parque e um espaço para apresentações e movimentos culturais. Lá rola cinema ao ar livre, peças de teatro, palestras, competições esportivas, exibições artísticas, feiras ao ar livre, aulas de yoga gratuitas…

Você pode acompanhar a programação no perfil deles no insta. Infelizmente as postagens são quase todas em russo, mas é só clicar em “ver tradução” embaixo da legenda que tá tudo certo.

A entrada é totalmente gratuita, tem espaço pra guardar bicicleta e é um espaço amplamente democrático. Você pode levar sua canguinha e fazer um piquenique bem legal também.

Claro que é um espaço bem mais divertido no verão. Mas no inverno ainda existe a opção da Bottle House, que é um prédio funicular (por isso o nome), com várias lojinhas e restaurantes.

Ali tem aula de balé, spinning, yoga… Eu fiz spinning lá todos os dias e amei muito. Fiz vários amigos dessa forma.

Os restaurantes são incríveis também. Bem alternativos, gostosos e baratos. Vale muito a pena visitar.

Street Art Museum

Outro museu incrível. É um museu todinho de arte de rua, com quase 200 metros quadrados de muros que foram cedidos a artistas do mundo todo.

View this post on Instagram

До ярмарки современного искусства SAM FAIR 2018 осталось меньше 2-х недель! ⠀ И в резиденцию Музея стрит-арта уже начинают приезжать участники. Первым из списка гостей оказался художник Пасмур Рачуйко (@pasmur.r). ⠀ Пасмур рисует автопортреты в наивной манере, изображая себя в различных амплуа от полицеского, до индейца в перьях. Но самое интересное, что он проповедует «дикий корм» — питается едой из леса, которую легко найти и за которую не надо платить. Накануне ярмарки в пятницу, состоится закрытый ужин, где художник познакомит гостей с гастрономическим дауншифтингом и накормит сытным вкусным ужином. Следите за новостями, скоро будут подробности. ⠀ #samfair #пасмуррачуйко #streetartmuseum #музейстритарта

A post shared by Street Art Museum (@strtartmuseum) on

O museu foi criado em uma antiga fábrica do tempo soviético e é também um projeto de reaproveitamento de espaços urbanos. Assim como a New Holland Island e o Loft Project.

Ele é dividido em duas áreas: a primeira tem a exposição permanente, enquanto a outra parte é onde acontecem as exposições temporárias.

Como a fábrica ainda funciona, o museu só funciona nos finais de semana e com tours guiadas que saem por 350 rublos, aproximadamente R$20, e 250 rublos para estudantes (R$14). As tours são em russo, mas você pode reservar uma tour em inglês.

Um milhão de atrações

Esse post já tá gigantesco e eu ainda nem coloquei metades das atrações… Então depois vou postar uma lista completa das minhas atrações preferidas.

Se você tiver disponibilidade reserve um bom tempo pra aproveitar São Petersburgo. As opções são muitas, principalmente durante o verão.

Pra te ajudar a ter uma noção das atrações, sugiro que você faça o download do app do Culture Trip (ou visite o site), e acompanhe o Visit Petersburg. Além de, claro, perguntar para os locais.


Uma das minhas cidades preferidas no mundo

São Petesburgo
Euzinha muito feliz, como sempre estava em São Petersburgo 

Cheguei em São Petersburgo bem sem pretensão nenhuma, e até com certo medo. Mas fui rapidamente conquistada por essa cidade linda que transborda cultura.

Muita gente vai te dizer que São Petersburgo nem pode ser considerada uma Rússia “de verdade”, por ser tão parecida com os países europeus. E, realmente, a diferença da cidade com Moscou é gigantesca. Mas a cultura russa é extremamente presente na cidade.

Então, se você planeja visitar a Rússia e está com um pouco de receio, meu conselho sem dúvida é: comece por São Petersburgo. A cidade está de braços abertos aos turistas e o choque cultural não é tão profundo quanto em Moscou.

Além disso, sugiro que você visite no verão. Há tantas coisas legais pra se fazer na cidade nessa estação!

E se você tiver alguma dúvida mais específica, pode deixar nos comentários ou me mandar uma DM no instagram! Vou adorar ajudar no que puder.

 

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *