É possível viajar e manter uma dieta vegana?

As decisões de viajar o mundo e virar vegana ocorreram quase que ao mesmo tempo na minha vida. Uma conexão maior com a natureza e um estudo sobre a dieta vegana me levaram a decidir cortar de vez a carne de peixe (eu era pescetária) e viver uma vida 100% vegana alguns meses antes de pegar a estrada.

Só que no planejamento da viagem veio a dúvida: será que é possível viajar e manter a dieta vegana?

A resposta é: dá sim. E foi muito mais fácil do que eu imaginei que seria. Só demandou um pouquinho de pesquisa, que eu já faria de qualquer jeito porque gosto de comer bem.

E o melhor, encontrar restaurantes veganos ao redor do mundo me apresentou milhares de comidas novas. E eu descobri que a dieta vegana tem muito mais opções do que eu achava que tinha.

Meu plano é fazer vários posts bem detalhados sobre cada destino e as opções veganas que eu mais gostei em cada um deles. Mas quero também fazer esse post mais “geral” pra te ajudar a manter a dieta vegana sem passar fome, sem quebrar o orçamento, e sem ficar só no pão e na batata frita.

O que significa ser vegano?

O veganismo é mais do que uma dieta, é um estilo de vida que vai além da alimentação. Assim, os “veganos de verdade” evitam também qualquer tipo de produto de origem animal, ou que faça teste em animais. E basicamente levam uma vida focada num melhor relacionamento com a natureza e os bichinhos.

Eu sou um pouco crítica dos extremismos e acho que qualquer passo que você possa dar no sentido de ajudar o meio ambiente já é melhor do que nada. Então não sou fundamentalista comigo mesma nem com os outros. Sempre tento fazer o máximo que está ao meu alcance.

Assim, primeiro decidi adotar uma dieta vegana, e foi uma transição no meu ritmo, retirando aos poucos o peixe (sou viciada em sushi). Depois fui lentamente estudando mais sobre o assunto e me tornando dia-a-dia mais vegana (com alguns escorregões de vez em quando).

Acredito que ser vegano é isso: evitar, na medida do possível, tudo o que contribui para a exploração dos animais e a destruição do meio ambiente.

Para quem quiser saber mais sobre o mundo vegano, sugiro dar uma olhadinha no site seja vegano e no sociedade vegana.

Que tipos de comida entram em uma dieta vegana?

A maioria das pessoas imagina que os veganos comem basicamente mato. Só que isso está muito longe da verdade.

Eu achava que seria muito caro virar vegana e que eu não ia achar nenhuma opção, já que minha cidade natal é nacionalmente conhecida pelo churrasco e pela agropecuária.

Só que a natureza já fornece uma quantidade absurda de alimentos naturalmente veganos, e eu comecei a descobrir texturas e sabores que antes eu nunca imaginava encontrar em legumes, castanhas e frutas.

Então, cortar as carnes, o leite e derivados, e os ovos acabou por acrescentar alimentos na minha dieta e não o contrário.

E o melhor: eu passei a descascar mais do que abrir embalagens. Então minha dieta ficou ainda mais saudável.

Minha alimentação hoje se resume a legumes, castanhas e frutas. Minhas fontes de proteína preferidas são o tempeh, o tofu e leguminosas como feijão e grão de bico.

Minha dieta é tudo menos repetitiva, e estou sempre conhecendo novos alimentos, combinações e receitas.

depois de Bali viciei em Tempeh
Pratinho de pedreiro vegano num warung em Bali (meu preferido é o Campur Campur em Uluwatu)

Os avanços na engenharia de alimentos têm ajudado muito, e hoje é possível encontrar substitutos veganos pra quase tudo. Eu inclusive contei do hambúrger vegano que provei em Hong Kong que parece carne de verdade.

juro que não é carne! fiquei chocadíssima
“The beyond burger” esse eu provei no Green Common em Hong Kong, mas também já encontrei no Umami em Los Angeles

Como encontrar opções veganas viajando?

Se você é vegano você provavelmente já tem uma rotina, um mercado local ou lojinha preferidos. Então sair dessa “zona de conforto” pode parecer um verdadeiro desafio, ainda mais se você vai viajar para algum lugar muito exótico.

Mas eu tenho uma ótima notícia pra você: a maioria das culinárias internacionais tem mais de uma opção vegana. Em todos os países que visitei experimentei algum tipo de prato nacional vegano (adaptado ou não), inclusive na Rússia.

E pra te ajudar a comer bem viajando e tendo uma dieta vegana, seguem minhas dicas de ouro:

  • Cozinhar sua própria comida

Essa é, sem dúvida, a melhor das opções. A mais saudável e a mais barata (quase sempre), além de garantir sempre que 100% dos produtos não têm origem animal.

E eu sugiro cozinhar sua própria comida mesmo se você não for vegano. Na maioria das vezes vai ser a opção mais barata. Então, procure hostels, homestays ou airbnbs que tenham cozinha.

saladinha com milho, grão de bico, abacate e cogumelos
Jantinha que preparei pra mim mesma num airbnb em Paris, parece chique, mas custou menos de 7 euros (com a garrafa de vinho).

A melhor parte de cozinhar, na minha opinião, é que você acaba fazendo vários amigos. Até mesmo quando eu estourava uma pipoquinha já apareciam várias pessoas na cozinha querendo um pouco. Tinha gente que nunca nem tinha visto como se faz pipoca de panela.

No Soul Kitchen Hostel em São Petersburgo os próprios funcionários do hostel cozinhavam toda noite. Todos os pratos eram vegetarianos e, às vezes, veganos. E o melhor: de graça. Você só era incentivado a ajudar, e mesmo se não ajudasse podia comer também.

masterchef vegano, me chama!
Nhoque de abóbora que cozinhei pro pessoal no Soul Kitchen, só precisei comprar a abóbora, o molho de tomate e os cogumelos, o resto o hostel oferecia

Ah, e se você tiver dificuldade na hora de comprar os ingredientes, sugiro usar o aplicativo do Google Tradutor. A câmera dele traduz a embalagem na hora pra você. Não funciona maravilhosamente bem, mas já ajuda muito.

  • Usar o aplicativo/site happycow

Se você é vegano e ainda não conhece o happycow, se prepare: ele vai mudar sua vida. O happycow é o que eu chamo de “tripadvisor vegano”.

Uma das minhas almas gêmeas, que conheci durante a viagem, me apresentou essa maravilha tecnológica que salvou minha alimentação durante a viagem. Antes dela eu estava, basicamente, comendo frutas e pão o dia inteiro.

Para usar o happycow você simplesmente digita o lugar onde você está (pode também usar aquele localizador do celular), e o site indica os restaurantes e lojinhas veganas próximas a você.

happycow salvador de vidas veganas

Você pode filtrar os restaurantes pelas recomendações dos membros da comunidade happycow, pela proximidade, pelo preço e pelo horário de funcionamento. Pode também filtrar por opções veganas, vegetarianas, raw, e por tipo de cozinha.

Eles não listam só restaurantes, mas também lojinhas vegetarianas e veganas. Tanto lojas de alimentação como de cosméticos e organizações que apoiam a causa vegana. É um recurso incrível pra quem é vegano ou segue a dieta vegana e vegetariana.

O app do happycow, infelizmente, é pago. Eu não cheguei a baixar, então não posso dizer se vale a pena ou não. Mas o site sempre me ajudou muito a encontrar lojas e restaurantes veganos.

Pode ser algo legal de se usar até mesmo na sua cidade. Vai que existem restaurantes veganos pertinho e você nem sabe! Vale a pena dar uma fuçadinha pra descobrir.

Ah, e vale lembrar que a comunidade do happycow é mantida pelos membros. Então tente sempre deixar uma avaliação que ajude outras pessoas, ou acrescente restaurantes e lojas legais que você descubra.

  • Pesquisar no Instagram e no Google

Essa opção demanda um pouquinho mais de tempo de pesquisa. Eu costumo comer com os olhos, então amo ver fotos bonitas de cafés com opções veganas.

Bali é um dos destinos com mais opções de cafés veganos. E basta você digitar “bali vegan” que várias opções aparecem. Você pode fazer o mesmo com a maioria dos lugares.

Vale pesquisar outros termos também como “plant based”. Mesmo se você não encontrar um restaurante específico, pode ser que acabe encontrando um instagram de dicas veganas ou de alguma organização legal que também indique cafés e lojinhas veganas.

Só tome cuidado, eu não garanto que um feed bonito signifique necessariamente uma comida gostosa. Às vezes é só bonito mesmo.

feeds lindos
Feeds lindos do @theshadyshack e @farmacyuk meus restaurantes preferidos em Bali e em Londres

O bom e velho amigo google também pode te ajudar bastante. Hoje em dia existem muitos blogs e até canais do youtube completamente voltados em dar dicas para veganos. Quem sabe algum blogueiro ou vlogger não passou pelo mesmo lugar que você e indicou um restaurante gostoso?

  • Pergunte às pessoas a sua volta

Tá, pode parecer uma dica bem óbvia, mas a verdade é que as melhores dicas que eu recebi na viagem vieram de outros mochileiros. Não só de restaurantes como de hostels e de atrações.

Sabe aquele dizer “seu coração atrai sua tribo?” então, eu tive a sorte de atrair várias amigas veganas durante a minha viagem, sem nem mesmo estar procurando.

E o mais legal é que você encontra alguém pra participar dessa busca divertida pelo restaurante vegano ideal. Eu e a minha amiga canadense amávamos descobrir lugares novos juntas, e a gente acabou levando algumas pessoas para o veganismo!

Nos hostels também é possível conseguir dicas de restaurantes e lojinhas veganas e saudáveis, tente perguntar na recepção se eles sabem de algum lugar que possa oferecer opções pra você.

  • Restaurantes indianos e restaurantes de café da manhã e brunch

Govinda’s: um restaurante indiano em Ao Nang

Gente, eu juro, é só no Brasil que a comida indiana ainda não é um completo sucesso. Na maioria dos lugares que eu visitei dava pra encontrar um restaurante indiano em cada esquina.

Eu, particularmente, não sou muito fã da culinária indiana. Meu paladar não aceita muito bem coisas apimentadas, e eu ainda não me acostumei a comer curries em geral. Eu quase sempre acabo comendo só o pão e o arroz, molhando bem rapidinho no curry.

A maioria dos amigos que eu fiz na viagem amavam comida indiana. Talvez o problema seja que para mim ainda é algo muito exótico… ou eu só não gosto mesmo.

Mas um estilo de restaurante que eu amo e que também dá pra encontrar na maioria dos lugares é o tal do “café”, aqueles lugares que oferecem café da manhã e brunch, ou que vendem suco e açaí que nem aqui no Brasil.

No sudeste asiático as frutas são bizarramente mais doces. Na Tailândia eu provei o melhor abacaxi da minha vida, e nas Filipinas eu experimentei um milhão de mangas diferentes.

Então vale muito a pena investir num smoothie ou smoothie bowl. Eu sugiro o de banana com manga (vai por mim, você não vai se arrepender).

Ah, só não esquece de conferir se eles não usam iogurte ou leite como base do smoothie. Se eles usarem geralmente é só pedir pra fazer sem.

esse lugar é incrível
Smoothie bowl e café com leite de coco no Unni’s em Phi Phi

Conclusão

Acho que ficou bem claro que dá sim pra manter uma dieta vegana viajando por aí.

A boa notícia é que o vegetarianismo e o veganismo têm se tornado cada vez mais comuns, dentro e fora do Brasil, então muitas vezes a maioria dos restaurantes já oferecem alguma opção. Na maioria dos hostels que eu fiquei existiam opções veganas, no HOP Hostel em Coron tinha até tofu mexido no café da manhã!

Então se você é vegano e vai viajar, pode ir tranquilo, opções não vão faltar. Você talvez só vai precisar pesquisar um pouquinho mais.

Ah, e se você tiver dicas legais ou restaurantes veganos pelo mundo pra indicar conta pra gente nos comentários!

 

 

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *